Clijsters quer cidadania australiana

A tenista belga Kim Clijsters, de 19 anos, quarta do ranking mundial e noiva do australiano Lleyton Hewitt, número 1 do mundo, busca a cidadania australiana. Leo Clijsters, pai da tenista, afirmou que a filha tenta a possibilidade de pagar impostos na Austrália para evitar a porcentagem maior exigida em seu país. Diretores da Federação Australiana de Tênis se mostraram entusiasmados com o desejo da tenista de inclusive comprar um imóvel em Adelaide, cidade natal de Hewitt. Um porta-voz da Oficina Australiana de Impostos disse que "não existe nenhum incentivo particular" para as estrelas do esporte que queiram residir no país. Leo Clijsters afirmou que na Bélgica 60% do dinheiro obtido pela tenista é retido pelos impostos. Clijsters, que ganhou mais de US$ 3 milhões desde 1998, poderá obter a cidadania por intermédio de contas bancárias, pela compra de uma propriedade, ou vivendo 183 dias do ano na Austrália. Este foi o melhor ano da carreira da tenista belga. Ela alcançou as semifinais do Aberto de Austrália e venceu as irmãs Williams no seu caminho do título do Masters, mês passado. Clijsters ainda ganhou os torneios de Hamburgo, Filderstadt e Luxemburgo. "Amo representar a Bélgica. Minha família é belga, mas gosto de estar neste país, onde o clima é muito melhor que na Europa", afirmou Kim Clijsters.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.