COI ameaça punir dirigente russo que ofendeu Serena e Venus

COI ameaça punir dirigente russo que ofendeu Serena e Venus

Membro da organização desde 94, Shamil Tarpishev havia chamado tenistas de 'irmãos Williams'; WTA e Associação puniram dirigente

Estadão Conteúdo

27 de outubro de 2014 | 11h01

A Comissão de Ética do Comitê Olímpico Internacional (COI) revelou nesta segunda-feira que entrou em contato com o presidente da federação russa de tênis, Shamil Tarpischev, para cobrar explicações sobre as declarações discriminatórias contra as irmãs Serena e Venus Williams.

Tarpischev, que é membro do COI desde 1994, virou alvo de polêmica há duas semanas ao chamar as tenistas de "irmãos Williams", em referência à força física das norte-americanas. Em resposta, Serena dissera que considerou o comentário sexista e racista e cobrou publicamente o dirigente.

As declarações custaram caro ao russo, que, além de ser presidente da federação, é o diretor do Torneio de Moscou. Ele levou multa de US$ 25 mil da WTA - a Associação das Tenistas Profissionais -, e foi suspenso por um ano. A entidade avisou ainda que cogita removê-lo do cargo de organizador do torneio disputado na capital russa.

Agora Tarpischev corre o risco de ser punido também pelo COI. Oficialmente, a entidade confirma apenas que entrou em contato com o dirigente, sem revelar quais medidas poderão ser tomadas sobre o caso.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.