Site oficial/ATP
Site oficial/ATP

Com 24 equipes, ATP confirma retorno da World Team Cup em 2020

Torneio entre países deve ser sediado na Austrália

Estadão Conteúdo

01 Julho 2018 | 20h54

A Associação dos Tenistas Profissionais (ATP) confirmou neste domingo o retorno da World Team Cup, competição entre países que foi disputada entre 1978 e 2012 em Düsseldorf. O torneio, com maior premiação em dinheiro e pontos no ranking, vai voltar ao calendário do circuito em 2020.

+ Serena diz serem injustos seguidos testes antidoping em seu retorno

+ Com final coincidindo com Copa, Wimbledon começa com Federer buscando 9º troféu

O retorno do torneio foi confirmado após reunião do Conselho da ATP, em Londres. A entidade não revelou maiores detalhes sobre o formato da competição, que terá 24 times e premiação de US$ 15 milhões (cerca de R$ 58 milhões). A competição deve abrir o calendário da temporada, em janeiro, e deve ser sediado na Austrália.

"Este é uma empolgante nova era para o tênis masculino. Após finalizar acordo com a ATP, estamos ansiosos para revelar um novo grande evento global de tênis, na Austrália, para lançar a temporada", afirmou Craig Tiley, CEO da Federação Australiana de Tênis. "Os melhores tenistas do mundo vão continuar a abrir suas temporadas na Austrália num formato que acreditamos que deve envolver os fãs ao longo do país e também do mundo."

Segundo o presidente da ATP, Chris Kermode, o torneio deve "mudar o panorama do circuito da ATP". "Isso vai nos permitir abrir a temporada com um grande evento com o mínimo impacto no calendário dos tenistas. Acreditamos que este torneio será sustentável do ponto de vista financeiro e também do ponto de vista da saúde dos atletas."

O World Team Cup é o torneio entre países organizado pela ATP, que concorre de certa forma com a Copa Davis, da Federação Internacional de Tênis (ITF). O relançamento da primeira coincide com mudanças na Davis em relação ao formato, o que poderá deixar os dois torneios com sistema semelhante.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.