Reuters
Reuters

Com aumento de casos de covid-19, Murray desiste de Delray e foca na Austrália

Ex-número 1 do mundo quer minimizar os riscos de contaminação para se preparar para o primeiro Grand Slam do ano

Redação, Estadão Conteúdo

31 de dezembro de 2020 | 12h50

Convidado para a disputa do ATP 250 de Delray Beach, torneio que abre a temporada do circuito na próxima semana, nos Estados Unidos, o britânico Andy Murray tomou a decisão de desistir do evento. Apesar do recente histórico de lesões, a desistência não se deu por esse motivo. O ex-número 1 do mundo quer minimizar os riscos de contaminação pela covid-19 às vésperas do Aberto da Austrália, o primeiro Grand Slam do ano, que começa no dia 8 de fevereiro.

"Depois de muita conversa com minha equipe, decidi não viajar para jogar em Delray Beach. Dado o aumento nos casos de covid-19 e os voos transatlânticos envolvidos, quero minimizar os riscos antes do Aberto da Austrália", disse Murray, por meio de um comunicado oficial divulgado à imprensa nesta quinta-feira. Atualmente com 33 anos, ele aparece no 122.º lugar do ranking da ATP e também foi convidado para o Grand Slam em Melbourne.

Murray seguirá treinando nos próximos dias no National Tennis Centre, em Roehampton, na Inglaterra, antes de embarcar para Melbourne no dia 16 de janeiro. Já em solo australiano, ele cumprirá a quarentena obrigatória de 14 dias para todo mundo que chega ao país antes de entrar na reta final de preparação para o primeiro Grand Slam da temporada.

O ATP 250 de Delray Beach, disputado em quadras rápidas, tem uma programação um pouco diferente do habitual. O qualifying acontecerá na terça e na quarta-feira da semana que vem, dias 5 e 6 de janeiro. A chave principal começa no dia 7. Já a final será no dia 13, uma quarta.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.