Thomas Peter/Reuters
Thomas Peter/Reuters

Com chave fraca e sem brasileiros, Brasil Open divulga lista de tenistas

Dos 19 jogadores, o mais bem ranqueado é o tunisiano Malek Jaziri, atual 43º do mundo

Felipe Rosa Mendes, Estadão Conteúdo

15 de janeiro de 2019 | 18h26

A organização do Brasil Open divulgou nesta terça-feira a lista dos tenistas que entrarão diretamente na chave principal do torneio, de nível ATP 250, que será disputado entre os dias 25 de fevereiro e 3 de março, em São Paulo. A chave, com poucos tenistas de destaque, não conta com brasileiros, que devem contar com convites ou com o qualifying para entrarem na competição.

Da lista de 19 jogadores divulgada nesta terça, o mais bem ranqueado é o tunisiano Malek Jaziri, atual 43º do mundo. Ele fará sua estreia na competição brasileira, disputada no Ginásio do Ibirapuera e também jogará no Rio Open, uma semana antes.

Na sequência, entre os destaques do Brasil Open estão o português João Sousa (44º do ranking), o argentino Leonardo Mayer (53º), o espanhol Albert Ramos-Viñolas (64º), o argentino Guido Pella (65º), o alemão Maximilian Marterer (71º), o espanhol Roberto Carballes-Baena (75º) e o espanhol Jaume Munar (79º), uma das apostas da nova geração.

Também estarão no torneio o argentino Federico Delbonis, campeão da edição 2014. Nenhum outro campeão anterior estarão na chave deste ano. A queda no nível da chave nesta temporada pode ser atestada pela ausência dos quatro semifinalistas de 2018. Três deles - o italiano Fabio Fognini, campeão, o chileno Nicolas Jarry e o uruguaio Pablo Cuevas - preferiram jogar em outras competições e estarão no Rio Open, uma semana antes.

A esperança da organização são os brasileiros. Por terem ranking fora do Top 100, Thiago Monteiro, Rogério Dutra Silva e Thomaz Bellucci não conseguiram a vaga direta. Mas devem entrar por convite ou através do qualifying. Serão três convites à disposição da organização, que ainda não indicou quem serão os contemplados.

É possível que o Brasil Open contemple um tenista brasileiro mais jovem, como Thiago Wild, campeão da chave juvenil do US Open no ano passado. Wild entrará direto na chave do Rio Open, torneio de nível mais elevado (ATP 500), por ter vencido uma seletiva de jovens brasileiros no fim do ano passado.

Outros possíveis atrativos do torneio são os jovens Felix Auger-Aliassime, do Canadá, Elias Ymer, da Suécia, e Casper Ruud, da Noruega. O trio, que atualmente está fora do Top 100, é aposta da nova geração. Auger-Aliassime já foi comparado até com o suíço Roger Federer por conta de suas boas performances e resultados no juvenil.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.