Denis Lovrovic/AFP
Denis Lovrovic/AFP

Com italiano Marco Cecchinato, Rio Open define chave da sua nova edição

Atual 18ª do ranking e semifinalista em Roland Garros confirma participação no torneio

Felipe Rosa Mendes, Estadao Conteudo

08 de janeiro de 2019 | 15h26

A organização do Rio Open anunciou nesta terça-feira a lista dos jogadores que vão disputar a chave principal entre os dias 16 e 24 de fevereiro no Jockey Club Brasileiro, no Rio de Janeiro. O maior destaque da relação divulgada é o italiano Marco Cecchinato, atual 18º do ranking e semifinalista em Roland Garros.

O torneio, o maior da América do Sul, de nível ATP 500, já havia anunciado anteriormente o austríaco Dominic Thiem (8º), o também italiano Fabio Fognini (13º) e o argentino Diego Schwartzman (19º), atual campeão. Com Cecchinato, a edição 2019 do Rio Open terá quatro integrantes do Top 20 do ranking.

"Queríamos mais [jogadores de alto nível] e buscamos mais, mas achamos que será um torneio tão competitivo quanto foi em 2017 com o Nishikori ou 2018 com o Cilic", disse Luiz Carvalho, diretor do torneio.

A expectativa dos fãs era de que o Rio Open anunciasse nesta terça um nome de maior peso, como aconteceu em edições anteriores, em que brilharam no saibro da competição tenista como o espanhol Rafael Nadal, o japonês Kei Nishikori e o croata Marin Cilic, todos campeões ou vice de Grand Slams.

No entanto, a maior parte dos tenistas do Top 10 e Top 20 preferiu jogar torneios na Europa na mesma semana, por questões de distância e viagens. "Negociamos bastante com[Stan] Wawrinka, [Grigor] Dimitrov, [Stefanos] Tsitsipas e [Andy] Murray. Eles optaram por jogar na Europa no final", afirmou Carvalho, que disse ter ficado muito perto de um acordo com Murray, ex-número 1 do mundo e dono de três títulos de Slam.

A lista da chave principal terá ainda tenistas de destaque mediano, especialistas em saibro: os espanhóis Pablo Carreño Busta e Albert Ramos-Viñolas, o chileno Nicolas Jarry, o português João Sousa e o uruguaio Pablo Cuevas. Nenhum brasileiro entrou diretamente na chave por conta de ranking.

O único brasileiro garantido é Thiago Wild, que conquistou a vaga por ser campeão de uma seletiva juvenil em dezembro. Na prática, ele ficou com um dos três convites à disposição da organização. Outro ficará com para a IMG, empresa parceria da IMM, a promotora da competição. E o último ficará com um dos brasileiros. Geralmente o Rio Open escolhe o número 1 do País. Assim, o convite deve ficar entre Thiago Monteiro (127º) e Rogério Dutra Silva (134º).

O Rio Open também divulgou a lista dos "alternates", jogadores que ficam numa lista de espera caso haja desistências. Os cinco primeiros são o britânico Cameron Norrie, o português Pedro Sousa, o italiano Lorenzo Sonego, o canadense Felix Auger-Aliassime e o italiano Paolo Lorenzi, nesta ordem. Auger-Aliassime é considerado uma das grandes promessas da nova geração.

Nas duplas, Bruno Soares e Marcelo Melo, jogando com seus parceiros, já estão confirmados. A lista final dos inscritos nas duplas será definida somente no início de fevereiro.

 

 

Mais conteúdo sobre:
Rio OpenMarco Cecchinatotênis

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.