Conquista de Guga pára Florianópolis

O brasão do Estado deu lugar ao slogan "Guga é Brasil" nas 10 mil bandeiras estilizadas distribuídas por uma rede de comunicação para os catarinenses irem às ruas comemorar o tricampeonato de Gustavo Kuerten em Roland Garros. O vermelho, o branco e o verde que compõem o maior símbolo do Estado, tingiram a principal avenida da cidade natal do tricampeão, a Beira-mar Norte de Florianópolis. Por volta das 9h, já era grande o movimento na tenda armada pelo Banco do Brasil num dos refúgios da avenida. Com a certeza de que a corrente de energia positiva ajudaria Guga, ninguém desgrudava os olhos do telão. A Polícia Militar reforçou o policiamento, para organizar o trânsito no local. Em vários cantos da cidade, grupos se reuniram para torcer pelo "manezinho" mais famoso do mundo. Esse é o apelido carinhoso dado aos que nascem na Ilha. Amigos do tenista, como Perseu Lehmkuhl, se encontraram para assistir ao jogo no Lira Tênis Clube. O carteiro Denisar Pacheco e a vizinhança fizeram da partida de Roland Garros um grande evento, com direito ao fechamento da rua Germano Esprícigo para um churrasco, no bairro Caminho Novo. A cidade era só sorrisos no fim do jogo. O grito de tricampeão foi mais alto na Beira-mar Norte. As cerca de 200 pessoas que assistiam à partida aos poucos saíram em carreata pela avenida. Buzinas, cornetas, apito, cachorro enrolado em bandeira, valeu de tudo para comemorar o título. E parece que a cidade já entende mesmo do esporte. O pintor de paredes Odair Marçal acha que o espanhol Alex Corretja deu um banho no primeiro set, "mas nos outros três o nível técnico do Guga foi muito superior", analisou, prevendo que a ressaca de amanhã valeria à pena.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.