Contundido, Nadal afirma que não cogitou abandonar final

MELBOURNE - As dores nas costas incomodaram Rafael Nadal durante a final deste domingo do Aberto da Austrália, especialmente a partir do segundo set, mas o espanhol garantiu que não pensou em nenhum momento em abandonar a partida contra o suíço Stanislas Wawrinka. E ele ainda venceu um set, mas acabou sendo batido por 3 a 1.

Agência Estado

26 de janeiro de 2014 | 12h28

"O último que eu queria era abandonar. Odeio fazê-lo, especialmente em uma final", afirmou o número 1 do mundo. "Às vezes, é difícil esperar todo o ano para um momento como esse e sentir que não está em condições de dar o seu melhor", lamentou.

Campeão do Aberto da Austrália em 2009, Nadal caiu nas quartas de final em Melbourne nos dois anos seguintes em partidas em que reclamou de lesões. Em 2012, o espanhol perdeu uma final épica, em cinco sets, para o sérvio Novak Djokovic, enquanto no ano passado o número 1 do mundo nem disputou o torneio, por causa de lesões no joelho.

Assim, Nadal reclamou do seu azar, mas fez questão de congratular Wawrinka pelo título do Aberto da Austrália. "Estou muito feliz por Stan, temos um ótimo relacionamento", disse Nadal, após a partida. "Foi má sorte o que me aconteceu hoje, mas ele realmente merecia", completou.

Nadal fez um balanço positivo das duas semanas do Aberto da Austrália, mas voltou a lamentar a lesão que o limitou na final deste domingo. "Foram duas semanas emocionantes. Lamento muito que tenha terminado desta forma. Eu me esforcei bastante. No ano passado foi um momento muito difícil quando eu não tive a oportunidade de jogar aqui. Este ano foi um dos mais torneios emocionantes da minha carreira", disse.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.