Contusão de Guga é no quadril

De volta ao Brasil e com os resultados dos exames realizados na Austrália debaixo do braço, o tenista Gustavo Kuerten confirmou: não vai mesmo submeter-se a cirurgia para livrar-se das dores na virilha. A surpresa foi a revelação de que não sofre de pubialgia, mas sim uma lesão no lado direito do quadril, que chegou a ser confundida com um problema mais grave, como revelou o médico do tenista, em Florianópolis, Marcos Contrera. "O Guga tem uma lesão no quadril direito", informou o médico Contrera, por meio de um comunicado da assessoria de imprensa de Guga."Não há pubialgia ou qualquer lesão no púbis. Algumas vezes houve tendinite nos músculos adutores da coxa, mas foram conseqüência desta lesão (sic)." Com o diagnóstico oficial, Guga revelou-se mais tranqüilo e convencido de que a fisioterapia é mesmo o melhor tratamento. "Agora, finalmente sei qual é o meu problema", disse o tenista. "Durante o ano passado todo ficamos tentando saber e agora fiz exames na Austrália, trouxe para o Dr. Marcos analisar e optamos por não operar e tentar uma reabilitação com fisioterapia e reforço muscular." Agora, Guga descansa alguns dias e na segunda-feira inicia o tratamento com a fisioterapeuta Mariângela Lima - que acompanhou o tenista por 18 dias na pré-temporada. O fato de ter voltado a sentir a lesão na Austrália, convenceu Guga de uma verdade. "Estava me sentindo melhor depois da pré-temporada, mas ainda não era hora de voltar." Seu retorno às quadras vai depender de sua recuperação física. Guga só quer entrar de novo num torneio quando estiver certo de que poderá jogar em um bom nível técnico e sem que a lesão prejudique seu desempenho. Por isso, a participação na Copa Davis, de 8 a 10 de fevereiro, no confronto Brasil x República Checa, em Ostrava, continua fora de cogitação. "Tenho de ver primeiro como meu corpo vai reagir."

Agencia Estado,

17 de janeiro de 2002 | 18h33

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.