Correção: Wimbledon aumenta premiação para campeão

A nota enviada anteriormente contém um erro no título. Segue a íntegra da nota corrigida:

AE, Agência Estado

19 de abril de 2011 | 15h27

Os campeões em Wimbledon neste ano receberão 1,1 milhão de libras cada um, em um aumento de 10% em relação ao prêmio pago no ano passado. Os gestores do All England Club, que hospeda o torneio, anunciaram nesta terça-feira que o valor total da premiação da 125ª edição do campeonato subiu 6,4%, atingindo o valor de 14,6 milhões de libras.

Como a libra britânica se valorizou desde o ano passado, o aumento é ainda maior quando contabilizado em dólares. "É importante que nós ofereçamos premiação em dinheiro que recompense devidamente os jogadores tanto pela bilheteria, como pelo apelo que trazem para o evento e pelas suas performances superiores na quadra", disse Ian Ritchie, chefe-executivo do All England Club.

No ano passado, o prêmio em dinheiro para os campeões individuais de Wimbledon superou pela primeira vez a marca de 1 milhão de libras. Ritchie disse que o All England Club vai pedir ao governo britânico para flexibilizar as regras fiscais com a intenção de tornar o torneio mais atraente para os jogadores.

Atletas que visitam a Grã-Bretanha para a disputa de esportes coletivos, como o futebol, não são tributados sobre ganhos e tempo de permanência no país, mas os individuais são. "Se Lionel Messi vem aqui para uma final da Liga dos Campeões, ele consegue não ser tributado, mas Roger Federer é", disse Ritchie.

O espanhol Rafael Nadal e a norte-americana Serena Williams são os atuais campeões das chaves masculina e feminina, respectivamente de Wimbledon. O torneio de 2011 tem início previsto para 20 de junho, com a final feminina marcada para 2 de julho e a decisão masculina para o dia seguinte.

Tudo o que sabemos sobre:
tênisWimbledonpremiação

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.