David Gray/Reuters
David Gray/Reuters

Del Potro surpreende Federer e leva título do US Open

Argentino quebra hegemonia do suíço no Grand Slam dos Estados Unidos e ganha a final por 3 sets a 2

Agencia Estado

14 de setembro de 2009 | 22h04

O argentino Juan Martín Del Potro conseguiu um feito improvável nesta segunda-feira, ao desbancar na final do US Open o número 1 do mundo Roger Federer. Com uma atuação impressionante, Del Potro derrotou o suíço por 3 sets a 2, com parciais de 3/6, 7/6 (7/5), 4/6, 7/6 (7/4) e 6/2, e conquistou o seu primeiro Grand Slam. De quebra, ainda interrompeu uma sequência de 40 vitórias seguidas de Federer no torneio, evitando o hexacampeonato do rival em Nova York.

Veja também:

mais imagens GALERIA DE FOTOS - Veja mais imagens da decisão

especial US OPEN - Leia mais sobre o torneio

especial QUIZ - Responda às perguntas sobre o US Open

especial INFOGRÁFICO - Saiba tudo sobre o torneio

Em uma batalha de 4h06, Del Potro levou a Argentina de volta ao primeiro lugar do US Open após 32 anos. O último argentino a vencer o Grand Slam foi Guillermo Villas, em 1977. Além disso, ainda interrompeu um jejum de mais de cinco anos do país sul-americano em torneios desde porte, com o último título sendo conquistado por Gaston Gaudio, em Roland Garros, ainda em 2004. Por tudo isso, Del Potro não conteve o choro depois da conquista.

O argentino, número 6 do mundo, teve que superar o retrospecto amplamente favorável de Federer no confronto direto. Em seis jogos, o suíço tinha levado a melhor em todas as oportunidades. A última delas havia sido nas semifinais de Roland Garros, ainda neste ano. Apesar do revés na ocasião, Del Potro já havia mostrado que podia buscar a vitória diante do maior vencedor de Grand Slams da história, vendendo caro a derrota por 3 sets a 2.

Em um jogo muito equilibrado, o argentino não se intimidou em nenhum momento diante do atual campeão de Wimbledon e Roland Garros. Na decisão, disputada nesta segunda por causa do adiamento provocado pela chuva em Nova York, Federer foi amplamente superior apenas no início, quando começou quebrando o saque de Del Potro logo de cara. A quebra foi suficiente para que o número 1 do mundo conseguisse a vitória em 40 minutos na primeira parcial.

Mas a partir do segundo set o argentino começou a encaixar seu jogo, variando bastante os golpes e sempre obrigando Federer a permanecer no fundo da quadra, se desgastando muito para devolver as bolas do adversário. Com uma quebra para cada lado, a decisão foi para o tie-break, no qual Del Potro se manteve calmo para empatar o jogo. A concentração do sul-americano, porém, foi seriamente abalada na terceira parcial.

Sem conseguir explorar bem seu saque, Del Potro sofreu duas quebras e sucumbiu ao suíço, que parecia voltar a jogar seu melhor tênis. Federer então continuou bem até o quinto game do quarto set, quando o argentino quebrou seu serviço e começou a ameaçar seriamente a vitória do número 1 do mundo. O suíço ainda deu o troco no oitavo game, mas novamente o rival dominou o tie-break. Confiante, Del Potro não deu chances para Federer no quinto set e fechou o jogo.

Ao final da partida, os números dos dois tenistas foram bastante parecidos. Além do aproveitamento em torno de 70% no primeiro serviço, ambos erraram em quantidade semelhante. Federer cometeu 62 erros não forçados, enquanto Del Potro terminou com 60. A diferença maior se deu no set decisivo, quando o suíço estava nervoso e errou 15 vezes, contra apenas quatro do argentino. Nos winners, o vencedor também foi melhor, obtendo 57, um a mais que o rival.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.