Demoliner/Daniell e Sá/Dutra Silva ganham e farão final de duplas do Brasil Open

Decisão de torneio em São Paulo será quase 100% brasileira

Estadão Conteúdo

04 de março de 2017 | 22h58

Em jogos disputados na noite deste sábado, a parceria formada por Marcelo Demoliner e neozelandês Marcus Daniell e a montada por André Sá e Rogério Dutra Silva venceram os respectivos confrontos que realizaram pelas semifinais do Brasil Open e assim garantiram um duelo "quase 100% brasileiro" na decisão da chave de duplas do ATP 250 realizado em quadra de saibro no Esporte Clube Pinheiros, em São Paulo.

Atuando ao lado de Marcus Daniell, com quem forma a parceria cabeça de chave número 4, o brasileiro Demoliner bateu os argentinos Facundo Bagnis e Guillermo Duran por 2 sets a 0, com parciais de 6/3 e 7/6 (8/6), para se tornar o primeiro tenista do País a assegurar presença na luta pelo título.

Logo em seguida, o experiente André Sá e Rogério Dutra Silva derrotaram os italianos Simone Bolelli e Fabio Fognini, também por 2 a 0, com 6/3 e 6/2, avançando com ainda mais facilidade à decisão, após apenas 1h08min de confronto nesta semifinal.

Veterano do circuito profissional que completará 40 anos de idade em maio, Sá irá buscar o seu 11º título de duplas no circuito da ATP, encerrando um jejum que dura desde 2015, quando foi campeão em Umag, Nottingham e Buenos Aires atuando ao lado de três diferentes parceiros. Caso conquiste o troféu, Sá também irá ajudar Rogerinho, de 33 anos, a ganhar o seu primeiro título na ATP.

O mesmo ocorre com Demoliner, que também ainda não tem nenhum troféu no circuito da Associação dos Tenistas Profissionais, enquanto Marcus Daniell já acumula três taças de duplas, sendo a última delas obtida no Torneio de Stuttgart do ano passado.

Para terem a chance de encerrar esse jejum neste domingo, na final marcada para começar às 14 horas, Demoliner e Daniell conquistaram duas quebras de saque na partida contra Bagnis e Duran, assim como só foram superados com o serviço na mão por uma vez e liquidaram o duelo ao levarem a melhor no apertado tie-break do segundo set.

Já Sá e Rogerinho foram dominantes diante de Bolelli e Fognini. Além de confirmarem todos os seus saques, converteram três de nove break points para fechar rapidamente a partida na qual cederam apenas cinco games aos adversários.

Tudo o que sabemos sobre:
tênisBrasil Open

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.