Cistopher Pike / Reuters
Cistopher Pike / Reuters

Denis Shapovalov testa positivo para covid-19 após disputar torneio em Abu Dabi

Número 14 do ranking da ATP, tenista canadense é o quarto tenista diagnosticado com a doença após participar da competição nos Emirados Árabes Unidos

Redação, Estadão Conteúdo

26 de dezembro de 2021 | 10h15

O tenista Denis Shapovalov, número 14 do ranking da ATP, anunciou nas suas redes sociais que testou positivo para a covid-19. O atleta é mais um que participou da série de exibições World Tennis Championship, em Abu Dabi, na semana passada, e se infectou depois de ter disputado a competição. O canadense, de 22 anos, recebeu o diagnóstico quando desembarcou em Sydney, onde pretende disputar a ATP Cup no começo de janeiro.

"Olá a todos. Eu gostaria de informar que testei positivo para Covid no desembarque em Sydney. Já estou seguindo todos os protocolos, incluindo o isolamento, e informando as pessoas com quem tive contato. Tenho sintomas leves e espero voltar à quadra quando for seguro. Agradeço a todos pelo apoio e desejo um período de festas feliz e seguro", escreveu o tenista nas suas redes sociais.

Shapovalov está na Austrália para a disputa do ATP Cup, torneio entre seleções que está marcado para começar no dia 1 de janeiro. O Canadá está no grupo C, junto com Estados Unidos, Grã-Bretanha e Alemanha. Além de Shapovalov, a equipe canadense é formada por  Felix Auger-Aliassime, Brayden Schnur, Peter Polansky e Steven Diez.

Na semana passada, Shapovalov participou do World Tennis Championship, em Abu Dhabi, onde ficou com a terceira melhor campanha. Na disputa do terceiro lugar, o canadense venceu Rafael Nadal, que também testou positivo para covid-19 no começo da semana passada. O técnico de Nadal, Carlos Moyá, também foi diagnosticado com a doença quando voltou dos Emirados Árabes Únidos para a Espanha.

As tenistas Belinda Bencic, campeã olímpica em Tóquio, e Ons Jabeur também foram contaminadas após passagem por Abu Dabi. Jabeur anunciou nas redes sociais que estava sentido sintomas mais fortes de febre e que estava se recuperando na Tunísia, seu país de origem. A tenista esteve nos Emirados Árabes para substituir Emma Raducanu depois que a britânica, campeã do US Open, se ausentou do torneio após testar positivo para a doença.

O aumento dos casos de covid-19 entre tenistas acontece em meio a polêmica se o melhor do mundo, Novak Djokovic, se vacinou, ou não, contra a doença. Ele se recusa a dizer se está imunizado com a justificativa de que está defendendo a sua privacidade. Por esse motivo, o tenista pode desfalcar a seleção da sérvia na ATP Cup, e também deixar de jogar o  Aberto da Austrália, que tem a vacinação como norma obrigatória para disputar a competição. 



 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.