Reprodução/Instagram Australia Open
Reprodução/Instagram Australia Open

Diretor da WTA apoia proposta de Federer de fusão com a ATP

Steven Simon diz que unificação exigiria um longo trabalho, mas apontou que a atual crise global pode gerar o contexto apropriado para iniciar esse processo

Redação, AFP

06 de maio de 2020 | 08h22

O diretor executivo da WTA, Steve Simon, manifestou seu apoio à fusão de sua entidade com o ATP após pedidos para unificar os circuitos de tênis masculino e feminino liderados por Roger Federer e Rafael Nadal.

Em entrevista ao The New York Times (NYT), Simon considerou que a unificação exigiria um longo trabalho, mas apontou que a atual crise global devido à pandemia do novo coronavírus e pode gerar o contexto apropriado para iniciar esse processo.

"Não tenho medo de uma fusão completa; nunca tive", disse Simon ao jornal. "Eu certamente seria o primeiro a apoiá-la... Obviamente, é um caminho longo e sinuoso para chegar lá, mas acho que faz todo o sentido do mundo". Os comentários de Simon vieram depois que Federer, que mais tarde recebeu o apoio de Nadal, propôs essa ideia no mês passado.

"Eu estava pensando ... eu sou o único a pensar que agora é a hora de o tênis masculino e feminino se unir e formar um único", perguntou o suíço em sua conta no Twitter. A proposta de Federer, que esclareceu que se tratava de unificar os órgãos dirigentes e não as competições nas quadras, atraiu apoio entusiasmado de personalidades de ambos os circuitos, incluindo Nadal e a lenda do tênis feminino Billie Jean King.

Em sua entrevista ao NYT, Simon disse que qualquer iniciativa de unificação se materializaria a longo prazo. No entanto, o clima de incerteza causado pela pandemia do novo coronavírus poderia dar o impulso para chegar a um acordo sobre uma fusão. "Este é um momento único", disse Simon. "Crises e desafios também podem às vezes oferecer oportunidades".

Em um eventual processo "não haveria escassez de contadores, advogados fiscais, advogados e todos os envolvidos nisso. Levaria tempo, mas, conceitualmente, pode não demorar tanto", disse Simon. "Se você concorda com o objetivo, geralmente pode fazer as coisas mais rapidamente", disse ele.

Tanto ATP quanto WTA, cujas temporadas estão suspensas desde março, foram forçadas a adotar medidas de redução de custos desde o início da pandemia. Simon enfatizou na entrevista que não era necessária uma fusão para garantir a sobrevivência da WTA.

"Não se trata de tentar salvar a WTA", disse ele. "Nós ficaremos bem, mas se fizermos a coisa certa nos negócios e finalmente unirmos o esporte, acho que a WTA apoiaria muito esse conceito".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.