Andrew Boyers/Reuters
Andrew Boyers/Reuters

Djokovic 'acelera' e vence russo antes de anoitecer em Wimbledon

Sérvio evita adiamento de duelo com vitória por 3 sets a 0 sobre Karen Khachanov

Estadão Conteúdo

09 Julho 2018 | 17h42

O sérvio Novak Djokovic "acelerou" nos dois sets finais para superar o russo Karen Khachanov nesta segunda-feira, antes de anoitecer em Wimbledon. O ex-número 1 do mundo fechou o jogo pelo placar de 3 sets a 0, com parciais de 6/4, 6/2 e 6/2, antes de o árbitro da partida interromper o jogo por falta de iluminação natural.

+ Federer avança às quartas de final em Wimbledon e fica perto de quebrar recorde

+ Nadal arrasa checo e volta às quartas de final de Wimbledon após 7 anos

Sob esta ameaça, o sérvio dominou o rival, atual 40º do ranking, desde o início e evitou qualquer reação no set final, mesmo após desperdiçar dois match points. Djokovic precisou "acelerar" porque sua partida teve início depois da batalha de 3h30min entre o sul-africano Kevin Anderson e o francês Gael Monfils, na quadra 1, que ainda não tem teto retrátil - Anderson levou a melhor em quatro sets.

Com pressa, o sérvio fechou o jogo em 1h46min. Se tivesse demorado mais alguns minutos, ele poderia ter sua partida adiada para terça-feira, o que o deixaria com jogos em três dias consecutivos, algo incomum num Grand Slam. Via de regra, há um dia de intervalo entre as partidas, que são em melhor de cinco sets.

Consistente do início ao fim, o ex-líder do ranking sofreu duas quebras de saque na partida. Mas isso não chegou a colocar sua vitória sob ameaça. Ao todo, o sérvio obteve sete quebras, em 14 oportunidades, e comandou praticamente todos os games. Foram 29 bolas vencedoras, contra 19 do russo. E apenas 12 erros não forçados, diante de 22 de Khachanov.

"Estou muito satisfeito. Ele tem muitas armas, um primeiro serviço poderoso e um grande forehand. E a situação estava difícil. Nos últimos games, eu mal conseguia ver a bola", disse Djokovic, referindo-se à falta de luz natural.

O triunfo levou Djokovic às quartas de final de Wimbledon pela décima vez. O dono de três títulos na grama londrina - atual 21º do ranking - vai enfrentar em seguida o japonês Kei Nishikori, que avançou ao superar o letão Ernests Gulbis, de virada, por 4/6, 7/6 (7/5), 7/6 (12/10) e 6/1.

Djokovic e Nishikori, 28º do mundo, vão se enfrentar pela 16ª vez. O sérvio leva ampla vantagem, com 13 vitórias, contra apenas duas do rival.

JOGO ADIADO

Sem a mesma velocidade do sérvio, o argentino Juan Martín del Potro não conseguiu confirmar o favoritismo sobre o francês Gilles Simon nesta segunda. O atual número quatro do mundo liderava o placar por 7/6 (7/1), 7/6 (7/5) e 5/7 quando a partida foi paralisada por falta de luz natural. O duelo será retomado nesta terça.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.