Asanka Brendon Ratnayake/Reuters
Asanka Brendon Ratnayake/Reuters

Djokovic confirma participação na ATP Cup e indica que jogará Aberto da Austrália

Tenista sérvio havia colocado em xeque sua presença no Grand Slam, em Melbourne, por não concordar com a imposição da vacinação contra a covid-19 para disputar o torneio

Redação, Estadão Conteúdo

07 de dezembro de 2021 | 10h08

Atual número 1 do mundo, Novak Djokovic confirmou nesta terça-feira que defenderá a Sérvia na edição de 2022 da ATP Cup, que acontecerá no início de janeiro na Austrália. Com isso, aumentaram as possibilidades de o tenista participar do Aberto da Austrália, o primeiro Grand Slam da temporada, em Melbourne, mesmo com toda polêmica por causa das regras de vacinação impostas pelo país da Oceania.

Vencedor de 20 Grand Slams na carreira, Djokovic lançou dúvidas sobre se defenderia o seu título no Aberto da Austrália, que obrigará os seus participantes a serem vacinados contra a covid-19. O problema é que o sérvio, de 34 anos, não quer revelar o seu estado de vacinação e disse recentemente na fase final da Copa Davis, em Madri, que a sua decisão em relação ao torneio em Melbourne seria conhecida em breve.

Por enquanto, foi definida apenas a sua participação na ATP Cup depois que a Sérvia divulgou uma lista de cinco tenistas. Já o pai Djokovic sugeriu no mês passado que seu filho não jogaria o Aberto da Austrália. "É claro que ele gostaria de ir (...) Mas não sei se isso vai acontecer, provavelmente não nessas condições, com essa chantagem, feita dessa forma", disse Srdjan Djokovic à estação de televisão sérvia Prva TV.

O Ministro do Esporte do estado de Victoria, onde acontece o Aberto da Austrália, se recusou a chantagear o jogador sérvio e pediu aos tenistas que se responsabilizem pela comunidade que os recebe. "Estamos pedindo às estrelas internacionais do tênis que atendam aos mesmos requisitos (de vacinação) que os vitorianos", disse Martin Pakula.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.