AP/Darko Vojinovic
AP/Darko Vojinovic

Djokovic atropela espanhol e abre vantagem para a Sérvia em confronto da Davis

Número 2 do mundo mostra estar recuperado de lesão e faz 3 sets a 0 em Albert Ramos-Viñolas

Estadao Conteudo

07 de abril de 2017 | 13h06

De volta após ficar fora do Masters 1000 de Miami por causa de uma lesão no cotovelo direito, Novak Djokovic mostrou nesta sexta-feira que está recuperado do problema ao atropelar Albert Ramos-Viñolas por 3 sets a 0, com parciais de 6/3, 6/4 e 6/2, em Belgrado, e abrir vantagem para a Sérvia no primeiro jogo da série melhor de cinco duelos do confronto diante da Espanha pelas quartas de final da Copa Davis.

Com a vitória de Djokovic, Viktor Troicki, hoje 39º tenista do mundo, terá a chance de deixar a Sérvia a um triunfo de eliminar os espanhóis caso supere Pablo Carreño Busta, o 19º da ATP, em outro confronto marcado para esta sexta-feira. A Espanha, além de jogar fora de casa e ter Djokovic pela frente, atua desfalcada do seu grande tenista, Rafael Nadal, que acabou não sendo convocado para os dois primeiros confrontos do país nesta Davis pela capitã Conchita Martínez.

Após ficar mais de duas semanas sem jogar por não ter atuado em Miami, o vice-líder do ranking mundial teve uma atuação dominante na quadra coberta da Aleksandar Nikolic Arena contra o 24º colocado da ATP, liquidado em 1h55min, o que não é muito tempo para um jogo decidido em uma melhor de cinco sets.

Para isso, Djokovic confirmou todos os seus saques no duelo, salvou o único break point que cedeu a Ramos-Viñolas e ainda aproveitou quatro de nove oportunidades que teve de quebrar o serviço do adversário. Com dez aces, o sérvio ainda ganhou 85% dos pontos que disputou quando encaixou o seu primeiro saque, assim como foi vencedor de 93% dos pontos que buscou quando se utilizou do segundo serviço.

Assim, Djokovic retornou às quadras de forma tranquila e confirmou o favoritismo que ele não conseguiu justificar nas duas partidas anteriores que disputou, primeiro no ATP 500 de Acapulco, no México, e depois no Masters 1000 de Indian Wells, nos Estados Unidos. Nestas duas ocasiões, o sérvio foi eliminado pelo australiano Nick Kyrgios, um dos principais nomes da nova geração do tênis.

Antes disso nesta temporada, em janeiro, Djokovic também foi surpreendido de forma ainda mais inesperada no Aberto da Austrália, no qual caiu na segunda rodada diante do usbeque Denis Istomin, então o 117º colocado do ranking mundial. Em Melbourne, sofrendo com problemas físicos, ele não conseguiu manter o embalo que ganhou após ter aberto o seu ano conquistando o Torneio de Doha, onde ficou com o título ao bater o britânico Andy Murray, líder do ranking mundial, na decisão.

FRANÇA X GRÃ-BRETANHA

Murray, por sua vez, é desfalque de peso da Grã-Bretanha no confronto que a nação trava com a França nestas quartas de final da Davis. Sem o astro, que se recupera de lesão, os britânicos viram os franceses saírem na frente nesta sexta-feira no primeiro duelo do embate realizado no saibro de Rouen (FRA).

Lucas Pouille superou Kyle Edmund por 3 sets a 0, com parciais de 7/5, 7/6 (8/6) e 6/3, e abriu 1 a 0 para a França na série melhor de cinco partidas entre as nações, cujo segundo duelo do dia conta com Jeremy Chardy enfrentando Daniel Evans.

BÉLGICA X ITÁLIA

Outro país que saiu na frente nas quartas de final da Davis nesta sexta-feira foi a Bélgica. Atuando como mandante diante da Itália em quadra dura coberta em Charleroi, o país abriu vantagem com Steve Darcis derrotando Paolo Lorenzi por 3 sets a 1, de virada, com parciais de 6/7 (3/7), 6/1, 6/1 e 7/6 (7/4).

Assim, os belgas também poderão abrir 2 a 0 na série contra os italianos ainda nesta sexta, para quando também está previsto o duelo entre David Goffin e Andreas Seppi.

Tudo o que sabemos sobre:
tênisNovak DjokovicCopa Davis

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.