Djokovic aumenta sua vantagem na liderança do ranking

Com dores no ombro direito, o sérvio Novak Djokovic abandonou a disputa da final contra o escocês Andy Murray e acabou ficando com o vice-campeonato no Masters 1000 de Cincinnati, no último domingo, nos Estados Unidos. Mesmo assim, ele conseguiu ampliar a sua vantagem na liderança do ranking mundial, conforme a lista semanal atualizada nesta segunda-feira pela Associação dos Tenistas Profissionais (ATP).

AE, Agência Estado

22 de agosto de 2011 | 08h54

Completando a sua oitava semana na liderança do ranking, Djokovic tem agora 2.500 pontos de vantagem sobre o espanhol Rafal Nadal, que ocupa a segunda colocação - antes, a diferença entre eles era de 2.080 pontos. Além disso, o sérvio garantiu o direito, pela primeira vez na carreira, de ser cabeça de chave número 1 em um Grand Slam: será no US Open, que começa na segunda-feira, em Nova York, nos Estados Unidos.

Djokovic tem agora 57 vitórias em 59 jogos na temporada - perdeu também para o suíço Roger Federer na semifinal de Roland Garros -, somando nove títulos conquistados apenas em 2011. Assim, o sérvio de 24 anos é o tenista a ser batido no US Open, o quarto e último torneio do Grand Slam. Mas resta saber em quais condições ele estará, depois das dores no ombro direito que o atrapalharam na decisão em Cincinnati.

Apesar do título em Cincinnati, o 18º de sua carreira profissional, Murray segue na quarta posição do ranking, atrás também de Federer. Com isso, aconteceram apenas duas mudanças entre os 10 melhores do mundo nesta semana: o espanhol David Ferrer ultrapassou o sueco Robin Soderling e subiu para quinto lugar e o francês Gael Monfils fez o mesmo com o norte-americano Mardy Fish, chegando à sétima posição.

Para o Brasil, a atualização semanal do ranking não trouxe boas notícias. Thomaz Bellucci caiu uma posição e está agora em 35º lugar, desperdiçando a chance de ser um dos 32 cabeças de chave do US Open. Mas, até o sorteio das chaves na sexta-feira, ainda tem a esperança de que três tenistas melhores colocados do que ele desistam do torneio, o que abriria vaga para o brasileiro ser um dos pré-classificados.

Além da queda de Bellucci, o tênis do Brasil deixou de ter três representantes entre os 100 melhores do mundo. Ricardo Mello deixou de ser Top 100 pela primeira vez desde abril do ano passado, ao perder 18 posições e aparecer nesta segunda-feira em 114º lugar - com isso, foi ultrapassado por um outro brasileiro, Rogério Dutra da Silva, que está em 112º. Em compensação, João Souza se manteve na 90ª colocação.

Confira os 10 melhores do ranking:

1) Novak Djokovic (SER) - 13.920 pontos

2) Rafael Nadal (ESP) - 11.420 pontos

3) Roger Federer (SUI) - 8.380 pontos

4) Andy Murray (ESC) - 6.535 pontos

5) David Ferrer (ESP) - 4.200 pontos

6) Robin Soderling (SUE) - 4.145 pontos

7) Gael Monfils (FRA) - 3.165 pontos

8) Mardy Fish (EUA) - 2.820 pontos

9) Tomas Berdych (RCH) - 2.690 pontos

10) Nicolas Almagro (ESP) - 2.380 pontos

35) Thomaz Bellucci (BRA) - 1.180 pontos

Tudo o que sabemos sobre:
tênisDjokovic

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.