Geoff Burke|USA Today Sports
Geoff Burke|USA Today Sports

Djokovic bate Nishikori, é campeão e segue colecionando recordes

Sérvio fatura o Masters 1000 de Miami com vitória por 2 sets a 0

Estadão Conteúdo

03 de abril de 2016 | 17h08

Ninguém é capaz de parar Novak Djokovic no circuito profissional de tênis. E ele vai acumulando recordes em sua carreira. Neste domingo, o sérvio derrotou o japonês Kei Nishikori por 2 sets a 0 - com um duplo 6/3, em 1 hora e 26 minutos de jogo - e conquistou o título do Masters 1000 de Miami, nos Estados Unidos. Assim como a bielo-russa Victoria Azarenka, o número 1 do mundo fez a dobradinha nos torneios em solo norte-americano (Miami e Indian Wells).

Com a conquista na Flórida, Djokovic segue colecionando marcas expressivas na carreira. Este é o 28.º título em torneios de nível Masters 1000, fazendo com que se isole como o maior vencedor - estava empatado com o espanhol Rafael Nadal. Só de finais nesta categoria são 40 participações, sendo 11 de forma consecutiva - a última vez que não jogou uma decisão foi em Xangai, na China, em 2014, quando perdeu para o suíço Roger Federer na semifinal.

Outro recorde de Djokovic agora é com relação à premiação nas competições. Com mais US$ 1.028.300,00 (R$ 3,66 milhões) no bolso com mais um título, o sérvio ultrapassou Federer como o mais premiado do circuito profissional. Já são mais de US$ 98 milhões (mais de R$ 349 milhões) em sua conta bancária.

Em quadra, Djokovic não está dando chances para ninguém. Neste domingo, Nishikori só teve forças para equilibrar as ações contra o sérvio no primeiro set, quando conseguiu duas quebras - mas foi quebrado de volta logo nos games seguintes. No confronto direto, agora são sete vitórias do sérvio em nove partidas.

Em 2016, o número 1 do mundo só perdeu um jogo, sendo que ele foi por problemas físicos. Djokovic desistiu do confronto contra o espanhol Feliciano Lopes nas quartas de final do Torneio do Dubai, nos Emirados Árabes Unidos. Agora são 29 jogos na temporada de 2016, com 28 vitórias.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.