Suhaib Salem/Reuters
Suhaib Salem/Reuters

Djokovic bate Tsonga em sets diretos e avança no Aberto da Austrália

Sérvio ganhou do francês por 3 sets a 0, com parciais de 6/3, 7/5 e 6/4, em 2 horas e 4 minutos

Redação, Estadão Conteúdo

17 Janeiro 2019 | 12h41

Velhos rivais no circuito profissional, o sérvio Novak Djokovic manteve a "freguesia" sobre o francês Jo-Wilfried Tsonga, nesta quinta-feira, pela segunda rodada do Aberto da Austrália, o primeiro Grand Slam da temporada. Por 3 sets a 0 - com parciais de 6/3, 7/5 e 6/4, em 2 horas e 4 minutos -, o número 1 do mundo conquistou a sua 17.ª vitória em 23 duelos contra o rival, que atualmente está na 177.ª posição, depois de ficar mais de oito meses parado por lesão e cirurgia no joelho esquerdo durante o ano passado.

Djokovic e Tsonga já protagonizaram uma final em Melbourne, na mesma quadra da Rod Laver Arena. Foi em 2008, quando o sérvio faturou o seu primeiro título de Grand Slam na carreira. De lá para cá, o primeiro do ranking da ATP se impôs no confronto direto e venceu os últimos quatro duelos. A última vez que o francês ganhou foi no Masters 1000 de Toronto, no Canadá, em 2014.

Na terceira rodada, Djokovic terá pela frente um tenista da nova geração. Será o canadense Denis Shapovalov, canhoto de 19 anos, que está na 27.ª colocação do ranking e nesta quinta-feira despachou o japonês Taro Daniel por 3 sets a 0 - parciais de 6/3, 7/6 (7/2) e 6/3. Os dois nunca se enfrentaram no circuito profissional.

Caso derrote Shapovalov neste sábado, Djokovic conseguirá cumprir o seu primeiro objetivo em Melbourne. O sérvio precisa chegar às oitavas de final para se garantir como o número 1 do mundo - acabando com as chances do espanhol Rafael Nadal - independentemente do que aconteça na sequência da competição.

Nas estatísticas, Djokovic foi superior a Tsonga. O sérvio conseguiu 12 aces contra 10 do francês, além de vencer em winners por 33 a 30. O número 1 do mundo foi mais consistente em quadra ao terminar o jogo com 24 erros não forçados contra 32 do adversário.

Ao contrário de Djokovic, o alemão Alexander Zverev sofreu para avançar à terceira rodada do Aberto da Austrália. O quatro colocado do ranking precisou de 3 horas e 44 minutos para derrotar o veterano francês Jeremy Chardy por 3 sets a 2 - com parciais de 7/6 (7/5), 6/4, 5/7, 6/7 (8/6) e 6/1.

A vaga na terceira rodada poderia ter sido conquistada com mais facilidade se Zverev não desperdiçasse tantas oportunidades. O alemão, de 21 anos, abriu 2 sets a 0 e poderia ter encerrado o jogo no terceiro, mas errou durante quatro pontos que poderiam quebrar o saque do adversário, além de ver o seu serviço quebrado na sequência.

Número 36 do mundo, Chardy ainda teve forças para buscar a igualdade em sets em um disputado tie-break. Só que aí a parte física fez diferença na quinta e decisiva parcial e Zverev, atual campeão do ATP Finals, se impôs para ganhar o jogo por 6/1.

O próximo desafio para o tenista alemão promete ser duro da mesma forma como foi nesta quinta-feira. Zverev terá pela frente o australiano Alex Bolt, convidado da organização e atual número 155 do mundo, que está embalado e apoiado pela torcida local após surpreender o francês Gilles Simon, cabeça de chave 29, por 3 sets a 2 - com parciais de 2/6, 6/4, 4/6, 7/6 (10/8) e 6/4.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.