Brandon Malone/AFP
Brandon Malone/AFP

Djokovic completa 311 semanas no topo e se isola como maior número 1 da história

Campeão do Aberto da Austrália pela nona vez na carreira no mês passado, Djokovic tem 18 títulos de Grand Slam e detém um recorde de 36 troféus de torneios da série Masters 1000

Redação, Estadão Conteúdo

08 de março de 2021 | 10h45

O sérvio Novak Djokovic fez história mais uma vez nesta segunda-feira. O tenista de 33 anos se tornou o maior número 1 do mundo na história de 48 anos do ranking da ATP. Ele alcançou a sua 311.ª semana na primeira colocação, deixando para trás o suíço Roger Federer com suas 310, e agora é isolado aquele que mais tempo liderou o circuito profissional masculino.

Campeão do Aberto da Austrália pela nona vez na carreira no mês passado, Djokovic tem 18 títulos de Grand Slam e detém um recorde de 36 troféus de torneios da série Masters 1000. Ele alcançou a liderança no ranking da ATP pela primeira vez em 4 de julho de 2011 e, desde então, se manteve na ponta em cinco passagens diferentes.

"Realmente me emociona trilhar o caminho de lendas e gigantes deste esporte. Saber que ganhei meu lugar entre eles por seguir meu sonho de infância é uma bela confirmação de que quando você faz as coisas por amor e paixão, tudo é possível", disse o sérvio em entrevista para o site oficial da ATP.

Djokovic assumiu a liderança pela última vez em 3 de fevereiro de 2020 e desde então seguiu comandando a lista da ATP. Neste período, não somou as semanas entre 23 de março e 23 de agosto, quando o ranking esteve congelado pela paralisação do circuito profissional provocada pela pandemia do novo coronavírus.

Depois de Djokovic e Federer, o terceiro colocado dos maiores líderes do ranking da ATP é o americano Pete Sampras, com 286 semanas. Completam o Top 5 o checo naturalizado americano Ivan Lendl (270) e o americano Jimmy Connors (268). O espanhol Rafael Nadal tem 209 semanas e está na sexta posição. Com 43 semanas como número 1 do mundo - em três passagens (oito semanas entre 4 de dezembro de 2000 e 28 de janeiro de 2001, 13 semanas entre 26 de fevereiro de 2001 e 1.º de abril de 2001 e 30 semanas entre 23 de abril de 2001 e 18 de novembro de 2001) -, o brasileiro Gustavo Kuerten está na 13.ª colocação dessa lista.

FOLGA NA PONTA

Sem jogar na semana que passou, Djokovic mantém uma vantagem confortável para Nadal, o segundo colocado. O sérvio tem 12.030 pontos, contra 9.850 do espanhol. O russo Daniil Medvedev, em terceiro, soma 9.735 e poderia assumir a vice-liderança se fosse campeão do ATP 500 de Roterdã, na Holanda. Mas caiu logo na estreia. No Top 10, somente o grego Stefanos Tsitsipas ganhou uma posição e agora é o quinto colocado. Ultrapassou Federer, o sexto, que voltará a jogar nesta semana depois de ficar mais de um ano longe das competições e de passar por duas cirurgias no joelho direito. A partir desta quarta-feira, o suíço disputará o ATP 250 de Doha, no Catar.

​Confira o ranking da ATP

1.º - Novak Djokovic (SER) - 12.030 pontos

2.º - Rafael Nadal (ESP) - 9.850

3.º - Daniil Medvedev (RUS) - 9.735

4.º - Dominic Thiem (AUT) - 9.125

5.º - Stefanos Tsitsipas (GRE) - 6.660

6.º - Roger Federer (SUI) - 6.630

7.º - Alexander Zverev (ALE) - 5.615

8.º - Andrey Rublev (RUS) - 5.019

9.º - Diego Schwartzman (ARG) - 3.640

10.º - Matteo Berrettini (ITA) - 3.480

11.º - Denis Shapovalov (CAN) - 2.910

12.º - Gaël Monfils (FRA) - 2.860

13.º - Roberto Bautista Agut (ESP) - 2.770

14.º - David Goffin (BEL) - 2.760

15.º - Milos Raonic (CAN) - 2.630

16.º - Pablo Carreño Busta (ESP) - 2.585

17.º - Grigor Dimitrov (BUL) - 2.575

18.º - Fabio Fognini (ITA) - 2.535

19.º - Félix Auger-Aliassime (CAN) - 2.516

20.º - Stan Wawrinka (SUI) - 2.365

74.º - Thiago Monteiro (BRA) - 954

124.º - Thiago Wild (BRA) - 605

203.º - João Menezes (BRA) - 353

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.