Karim SAHIB / AFP
Karim SAHIB / AFP

Djokovic desiste de Indian Wells e Miami por causa de restrições de entrada nos EUA

Agora número 2 do mundo, tenista sérvio continua sem se vacinar contra a covid-19

AFP, O Estado de S.Paulo

09 de março de 2022 | 23h03

O sérvio Novak Djokovic, número 2 do tênis mundial, confirmou nesta quarta-feira que não poderá disputar este mês o Masters 1000 em Indian Wells e Miami por causa das restrições de entrada nos Estados Unidos de pessoas não vacinadas contra o coronavírus. 

"Embora eu estivesse automaticamente na lista do sorteio de Indian Wells e Miami, eu sabia que seria improvável que eu pudesse viajar", disse Djokovic em mensagem no Twitter.  "O CDC (autoridade sanitária dos Estados Unidos) confirmou que os regulamentos não mudarão, então não poderei jogar nos Estados Unidos. Boa sorte para aqueles que jogam nesses grandes torneios", disse ele. 

Djokovic, que já perdeu o Aberto da Austrália em janeiro devido à recusa em se vacinar, estava incluído até esta quarta-feira no sorteio de participantes de Indian Wells, torneio que venceu cinco vezes e cuja primeira rodada masculina começa na quinta-feira.

Na terça-feira, os organizadores do Indian Wells, o primeiro Masters 1000 da temporada, surpreenderam ao informar que Djokovic seria incluído no sorteio das partidas da primeira fase.  A organização indicou que estava em comunicação com a equipe do sérvio para determinar se ele poderia receber autorização para entrar nos Estados Unidos, o que ele acabou não obtendo. 

De acordo com os regulamentos governamentais, todos os viajantes que não são cidadãos dos Estados Unidos devem ter um calendário completo de vacinação contra a covid-19 para entrar no país. 

Por não estar vacinado, Djokovic já perdeu uma batalha judicial na Austrália no início deste ano, onde as autoridades nacionais cancelaram seu visto e o obrigaram a deixar o país sem competir no Australian Open em Melbourne, o primeiro Grand Slam da temporada. 

Em fevereiro, Djokovic voltou às quadras no torneio de Dubai, já que os Emirados Árabes Unidos não exigem vacinação para entrar em seu território. Sua eliminação nas quartas de final desse evento fez com que ele fosse superado pelo russo Daniil Medvedev como número 1 no ranking da ATP.

Medvedev e Nadal na disputa

Djokovic, de 34 anos, ficará de fora tanto do Indian Wells, que acontece até 20 de março naquela cidade do deserto do estado da Califórnia, quanto do Miami Open, que será realizado de 21 de março a 3 de abril. 

O búlgaro Grigor Dimitrov vai ocupar o seu lugar entre os cabeças de chave em Indian Wells, onde já se encontram praticamente todos os grandes nomes do circuito.  Entre eles estão o próprio Medvedev e o espanhol Rafael Nadal, que começou o ano vencendo o Aberto da Austrália e superando Djokovic e Roger Federer em número de títulos de Grand Slam (21). 

Os organizadores do evento também exigem que os espectadores sejam vacinados para entrar nas instalações onde o torneio é realizado.

Tudo o que sabemos sobre:
Novak Djokovictêniscoronavírus

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.