Ed Jones/AFP
Ed Jones/AFP

Djokovic leva susto, mas vira sobre jovem americano e vai às quartas no US Open

Número 1 do mundo teve trabalho diante de Jenson Brooksby, desconhecido no circuito, e precisou de quatro sets para fechar o jogo

Redação, Estadão Conteúdo

07 de setembro de 2021 | 00h11

O sérvio Novak Djokovic perdeu mais um set no US Open, na noite desta segunda-feira, desta vez com um susto, mas reagiu com firmeza e avançou às quartas de final. O número 1 do mundo teve trabalho diante do jovem americano Jenson Brooksby, desconhecido no circuito, e precisou de quatro sets para fechar o jogo com parciais de 1/6, 6/3, 6/2 e 6/2, em 2h58min de um suado duelo, em Nova York.

Brooksby, de apenas 20 anos, é o atual 99º do ranking. Porém, ainda não exibe resultado de expressão no circuito ou grandes vitórias. Mesmo assim, impôs a Djokovic uma dura derrota no primeiro set, em que o favorito conseguiu vencer apenas um game. O tenista da casa imprimiu forte ritmo até o final do incrível segundo set, marcado por lances inesperados, ralis intermináveis e exaustivos e até um game com 19 minutos de duração.

O líder do ranking começou a segunda parcial fazendo 3/0. E quase foi surpreendido pela reação do rival. Brooksby, cometendo poucos erros, venceu dois games em sequência e esteve perto de empatar em 3/3. A essa altura, a torcida vibrava no Arthur Ashe Stadium, a quadra central do US Open, com a ousadia e as belas jogadas do americano, que apostava em deixadinhas e acertava até lob no favorito.

A grande desenvoltura, contudo, cobrou seu preço. Acostumado a jogar torneios menores, decididos em melhor de três sets, o tenista da casa não aguentou o cansaço, reduziu o ritmo e foi engolido por Djokovic a partir do terceiro set. Com seu conhecido preparo físico, o sérvio administrou as duas parciais finais com certa tranquilidade, diante do abatimento físico do jovem e inexperiente adversário.

Apesar da boa reação, Djokovic voltou a mostrar vulnerabilidades. Em seu quarto jogo na competição, venceu apenas um por sets diretos, contra o também desconhecido Tallon Griekspoor, da Holanda. Nos demais, perdeu um set e exibiu oscilações tanto na parte técnica quanto na mental.

As hesitações surpreendem porque até agora o sérvio só enfrentou rivais de menor expressão, a exceção do japonês Kei Nishikori, longe de sua melhor fase. Nas quartas de final, o líder do ranking terá um teste mais complicado. Ele vai reencontrar o italiano Matteo Berrettini, atual número oito do mundo.

Eles já se enfrentaram três vezes no circuito, sempre com vitória de Djokovic. Mas os últimos confrontos mais equilibrados, incluindo a final de Wimbledon, em que o italiano tirou um set do então franco favorito.

Dono de três títulos em Nova York, o tenista da Sérvia busca dois feitos históricos neste US Open. O tricampeão quer fechar o Grand Slam, ou seja vencer todos os quatro torneios da série numa mesma temporada, algo raríssimo na história do tênis. Foi feito apenas uma vez na era aberta (profissional), inicia em 1968 - o australiano Rod Laver foi o autor do feito, em 1969.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.