Alastair Grant / AP
Alastair Grant / AP

'Djokovic é o maior de todos os tempos', diz ex-tenista multicampeão Pete Sampras

Considerado um dos grandes nomes da história na modalidade, americano afirma que sérvio de 34 anos é 'incomparável' e destaca a 'consistência' das atuações do número 1 do mundo nos últimos anos

Redação, Reuters

16 de novembro de 2021 | 12h33

O debate sobre 'o melhor de todos os tempos' no tênis masculino divide opiniões há anos, mas o americano Pete Sampras não tem dúvidas de que o Novak Djokovic é o escolhido. O sérvio está empatado com Roger Federer e Rafael Nadal em 20 grandes títulos de simples cada um e os fãs e especialistas continuam a discutir sobre quem deve ser considerado o melhor de todos.

Sampras chegou à sua conclusão. Djokovic, de 34 anos, o mais jovem dos três, tem sido incomparável em consistência e sucesso nos últimos anos e já conquistou o recorde de Federer de manter o número um do ranking mundial masculino na maioria das semanas. Este mês, o sérvio rompeu o empate com seu ídolo de infância Sampras, conquistando o número um do mundo no fim do ano, com um recorde de sete vezes.

"Sete anos, para ele, tenho certeza que ele vê isso como um bônus para todos os campeonatos que ele ganhou", disse Sampras, vencedor de 14 títulos de simples importantes antes de se aposentar após o Aberto dos Estados Unidos de 2002, ao ATP Tour local na rede Internet. "Mas acho que ele vai apreciar mais à medida que envelhecer. Ele fez isso em um momento em que dominava dois dos grandes nomes, Federer e Nadal, e lidou muito bem com a próxima geração de jogadores - todos ao mesmo tempo."

É exatamente isso que Djokovic tem feito no circuito: tirando proveito dos seus maiores rivais e também de suas contusões e 'ensinando' tênis aos mais jovens que, como ele um dia fez, almejam subir no ranking e se meter entre os principais tenistas do mundo.

"Eu acho que o que Novak fez nos últimos dez anos, vencendo os campeonatos, sendo consistente, terminando em primeiro lugar por sete anos, para mim é um sinal claro de que ele é o maior de todos os tempos", disse Sampras para quem o tênis mundial se curvou um dia.

Djokovic, que também conquistou o 37º título ATP Masters em Paris este mês, foi presenteado com o troféu de número 1 do mundo na segunda-feira em Torino, na Itália, após sua vitória sobre Casper Ruud da Noruega nas finais ATP de fim de temporada. "Eu fui 'o cara' por muitos anos e ele tem sido 'o cara' ainda mais", disse Sampras. "Acho que ele tem sido mais consistente, ganhou mais eventos, tem mais majors. Eu poderia continuar falando sobre a carreira dele. Não acho que você verá (sete vezes números 1 do ano) de novo."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.