Paul Crock/AFP
Paul Crock/AFP

Djokovic passa fácil por Verdasco; Wawrinka também vai às oitavas

Na próxima rodada, líder do ranking mundial encara o luxemburguês Gilles Muller, que surpreende o norte-americano John Isner

Estadão Conteúdo

24 de janeiro de 2015 | 09h09

Líder do ranking mundial, Novak Djokovic fez o que dele se espera e já está nas oitavas de final do Aberto da Austrália. Neste sábado, em Melbourne, o sérvio encarou o duro Fernando Verdasco, 33.º do mundo, e venceu sem maiores problemas, por 3 sets a 0, com parciais de 7/6 (10/8), 6/3 e 6/4, em duas horas e 20 minutos de partida.

Para chegar pela nona vez consecutiva à quarta rodada, Djokovic mostrou a regularidade de sempre. Se o número de winners não foi muito discrepante, em erros não forçados o sérvio ganhou a partida. Errou 24 vezes, menos do que a metade de Verdasco, que falhou em 50 pontos.

De forma geral, a rodada de sábado foi sem surpresas até aqui na chave masculina do primeiro Grand Slam do ano. Praticamente todos os favoritos que entraram em quadra venceram. A exceção foi o luxemburguês Gilles Muller, 41.º do ranking, que surpreendeu o norte-americano John Isner em três sets, com parciais de 7/6 (7/4), 7/6 (8/6) e 6/4), e será o próximo adversário de Djokovic.

Atual campeão, o suíço Stan Wawrinka passou fácil pelo finlandês Jarkko Nieminen (72.º do ranking), por 3 sets a 0, com parciais de 6/4, 6/2 e 6/4. Agora são sete vitórias e nenhuma derrota na temporada para o número 4 do ranking mundial. Seu rival na próxima fase será o espanhol Guilhermo Garcia-Lopez, que eliminou o canadense Vasek Pospisil.

O japonês Kei Nishikori, quinto cabeça de chave, também fez a parte dele para vencer o norte-americano Steve Johnson (38.º do mundo), de virada, em por 3 a 1, com parciais de 6/7 (7/9), 6/1, 6/2 e 6/3. A partida foi a única a ir até o quarto set no dia.

Já o canadense Milos Raonic, oitavo do mundo, fez 3 a 0 no alemão Benjamin Becker, 41.º, e também avançou. Seu adversário nas oitavas será o espanhol Feliciano Lopez, 12.º cabeça de chave, que passou pelo polonês Jerzy Janowicz.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.