Andrej Cukic/EFE
Andrej Cukic/EFE

Djokovic revela que ele e sua mulher tiveram resultado negativo para a covid-19

Sérvio e outros tenistas foram contaminados durante torneio de tênis em seu país, organizado pelo número 1 do mundo e duramente criticado por isso

Redação, Estadão Conteúdo

02 de julho de 2020 | 10h36

Diagnosticado com a covid-19 há dez dias, depois de ter organizado torneios de exibição de tênis na Sérvia e na Croácia com a presença de público, e cumprindo um período de isolamento em sua casa em Belgrado, o sérvio Novak Djokovic revelou nesta quinta-feira que ele e sua mulher Jelena estão livres do novo coronavírus. "Novak Djokovic e sua mulher Jelena tiveram resultado negativo em relação ao coronavírus. Isso foi demonstrado pelos últimos resultados de um teste de PCR que ambos fizeram em Belgrado. Ambos não sentiram sintoma da doença e fizeram o teste mediante acordo prévio com os médicos", informa em comunicado a assessoria de imprensa do número 1 do mundo.

"Desde que voltaram de Zadar, os Djokovic passaram por auto isolamento e seguiram todos os protocolos e medidas de segurança em relação ao vírus", complementou o comunicado. Djokovic e a mulher revelaram o teste positivo no último dia 23, após surto do vírus entre os participantes do Adria Tour em Zadar, na Croácia.

Além do líder do ranking da ATP, também foram contaminados outros tenistas, como o búlgaro Grigor Dimitrov, o croata Borna Coric e o sérvio Viktor Troicki. Outros que acabaram testando positivo para a covid-19 foram a mulher de Troicki, o técnico e o preparador físico de Djokovic, respectivamente Goran Ivanisevic e Marko Paniki, e Kristijan Groh, treinador de Dimitrov.

Doação

Durante seu isolamento em Belgrado, Djokovic destinou recursos a uma das regiões mais afetadas pela pandemia na Sérvia. O tenista doou 5 milhões de dinares (cerca de 50 mil euros ou R$ 300 mil) para a cidade de Novi Pazar, epicentros da doença no país e que vem enfrentando aumento no número de casos. Durante a crise sanitária pelo mundo, o atual número 1 do mundo também já fez doações em dinheiro para hospitais na Sérvia, Espanha e Itália. Até mesmo no Brasil ele se uniu à campanha "Vencendo Juntos", que tem o ex-tenista Gustavo Kuerten entre os embaixadores.

Depois de constatar a contaminação, o tenista foi muito criticado por ter organizado um torneio em meio à pandemia e exposto torcedores, inclusive crianças levadas para as partidas de exibição.

Tudo o que sabemos sobre:
tênisNovak Djokoviccoronavírus

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.