Paul Crock|AFP
Paul Crock|AFP

Djokovic se diz 'honrado' por igualar recorde na Austrália

Sérvio se iguala a Roy Emerson com seis títulos no torneio

Estadão Conteúdo

31 Janeiro 2016 | 12h22

Grande tenista da atualidade e um dos melhores de todos os tempos, Novak Djokovic segue quebrando marcas. Neste domingo, faturou o Aberto da Austrália ao derrotar com facilidade o britânico Andy Murray por 3 sets a 0, com parciais de 6/1, 7/5 e 7/6 (7/3), e se tornou o maior vencedor da história do Grand Slam.

Foi a sexta conquista de Djokovic em Melbourne, igualando a marca obtida somente por Roy Emerson ainda na década de 60. Escrever seu nome ao lado do australiano, considerado um dos melhores da história da modalidade, deixou o sérvio bastante feliz.

"Estou extremamente honrado por ser mencionado ao lado de algumas lendas do nosso esporte. É um sentimento incrível por ter conseguido fazer história e igualar o recorde de Roy Emerson. Quando você tem a oportunidade de fazer história, soma para a sua motivação e incentivo antes de ir à quadra. Tento canalizar isso e usar de forma positiva", declarou o campeão.

A confiança de Djokovic pode mesmo ser sentida nas palavras do jogador. "Eu acredito que posso vencer qualquer partida que jogar e estou jogando o melhor tênis da minha vida nos últimos 15 meses. Os resultados estão mostrando isso. Não sei quão longe é o meu limite", comentou.

Neste domingo, a superioridade do sérvio ficou clara. Mesmo diante do segundo colocado do ranking da ATP, Djokovic foi soberano em quadra, errou pouco e mostrou confiança. Do outro lado, encontrou um Andy Murray que abusou dos erros e deixava clara sua frustração a cada ponto perdido.

"Partida difícil, não deu sorte hoje, Andy", disse o sérvio após a vitória. "Você é um grande campeão, um grande amigo e alguém que é muito comprometido e terá diversas oportunidades para lutar por este troféu."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.