Katharine Lotze/Getty Images/AFP
Katharine Lotze/Getty Images/AFP

Djokovic sofre com dores no ombro, mas supera argentino no US Open

Sérvio passa por Juan Ignacio Londero, 56º do ranking, por 3 sets a 0, com parciais de 6/4, 7/6 (7/3) e 6/1

Redação, Estadão Conteúdo

28 de agosto de 2019 | 23h58

Após uma estreia tranquila no US Open, o sérvio Novak Djokovic sofreu para vencer seu segundo jogo no Grand Slam norte-americano. O número 1 do mundo sentiu dores no ombro esquerdo e teve mais dificuldade do que o esperado para superar o argentino Juan Ignacio Londero, 56º do ranking, por 3 sets a 0, com parciais de 6/4, 7/6 (7/3) e 6/1, em 2h15min.

Djokovic precisou receber atendimento médico em quadra no primeiro e no segundo sets. As dores afetaram o rendimento do favorito tanto no saque quanto no backhand, uma das suas maiores ferramentas no circuito. Ao fim do jogo, mesmo questionado ainda em quadra, ele evitou comentar sobre a lesão.

Em razão das dores, o placar acabou não refletindo como foi realmente a partida. Londero ofereceu forte resistência ao favorito e obteve cinco quebras de saque, três delas somente na segunda parcial. Djokovic, em resposta, se impôs no serviço do rival por oito vezes. Destacou-se também com suas 35 bolas vencedoras, contra 24 do sul-americano. E cometeu 35 erros não forçados, contra 43 de Londero.

O segundo set foi o mais emblemático da partida. Mesmo após perder a primeira parcial, o argentino não desanimou e faturou duas quebras em sequência sobre Djokovic: 3/0. Quando sacava para fazer 4/0, sofreu a quebra. O sérvio buscou o empate em 3/3 e até virou para 5/3. Mas Londero obteve nova quebra e forçou a disputa do tie-break, vencido pelo favorito.

O terceiro set acabou ficando abaixo da média da partida. O argentino perdeu confiança e caiu de rendimento, tornando-se vítima fácil de Djokovic, mesmo com as dores no ombro. Na terceira rodada, o líder do ranking vai enfrentar o vencedor do duelo entre o local Denis Kudla e o compatriota Dusan Lajovic.

O duelo entre Djokovic e Londero foi realizado com o teto retrátil na Arthur Ashe Stadium, a quadra central do complexo do US Open. Isso porque a rodada desta quarta foi marcada pela chuva, que atrapalhou quase toda a programação do dia. Foram realizados apenas os jogos na Arthur Ashe e na quadra Louis Armstrong Stadium, que também conta com o teto.

No feminino, a local Madison Keys e a australiana Ashleigh Barty venceram seus jogos e confirmaram a boa fase no circuito. Barty, que chegou a liderar o ranking após ser campeã de Roland Garros, superou a local Lauren Davis por 6/2 e 7/6 (7/2). Sua próxima adversária vai sair do duelo entre a chinesa Shuai Peng e a grega Maria Sakkari.

Madison Keys, que vem de bons resultados nas últimas semanas, despachou a também chinesa Lin Zhu por 6/4 e 6/1. Na terceira rodada, a tenista da casa enfrentará a vitoriosa do confronto entre a alemã Laura Siegemund e a local Sofia Kenin.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.