Lee Jin-Man/AP
Lee Jin-Man/AP

Djokovic terá revanche contra Wawrinka no Aberto da Austrália

Líder do ranking mundial aplica 3 sets a 0 no canadense Raonic e volta a enfrentar o tenista suíço, atual campeão do Grand Slam

Estadão Conteúdo

28 de janeiro de 2015 | 09h33

Líder do ranking mundial, Novak Djokovic fez valer com autoridade o seu favoritismo nesta quarta-feira para garantir vaga nas semifinais do Aberto da Austrália. O tenista sérvio venceu o canadense Milos Raonic por 3 sets a 0, com parciais de 7/6 (7/5), 6/4 e 6/2, e seguiu rumo ao seu quinto título do Grand Slam realizado em Melbourne.

E Djokovic irá encarar na próxima sexta-feira o suíço Stan Wawrinka, que nesta quarta derrotou o japonês Kei Nishikori, também por 3 sets a 0, com 6/3, 6/4 e 7/6 (8/6). Assim, o tenista número 1 do mundo irá travar uma revanche com Wawrinka, que no ano passado surpreendeu ao eliminar o sérvio nas quartas de final na Austrália e depois partiu para então uma improvável conquista do Grand Slam.

Naquela ocasião, o atual quarta colocado do ranking mundial levou a melhor em uma batalha de cinco sets com Djokovic, que depois daria o troco no adversário apenas no término da última temporada, no ATP Finals, torneio que reúne os melhores tenistas do ano.

Djokovic, por sinal, irá defender ampla vantagem no retrospecto de duelos contra o jogador nascido em Lausanne. Ele ganhou 16 dos 19 jogos entre os dois, sendo que as outras duas vitórias do suíço sobre o rival aconteceram em 2006.

Para encaminhar o seu triunfo em sets diretos nesta quarta, Djokovic não ofereceu uma única chance de quebra de saque a Raonic em toda partida. E, após definir a equilibrada primeira parcial no tie-break, converteu três de 11 break points para fechar os sets seguintes com mais tranquilidade e liquidar o confronto em 3 a 0.

Embora tenha contabilizado 15 aces, contra oito de Djokovic, Raonic cometeu 36 erros não-forçados, enquanto o sérvio só teve 17. Isso também pesou para que o canadense não conseguisse ameaçar o domínio do seu poderoso adversário.

Já Wawrinka teve o seu saque quebrado por apenas uma vez no jogo diante de Nishikori, que também viu o suíço converter três de 11 break points e ainda contabilizar 20 aces, diante de seis obtidos pelo japonês neste fundamento. Wawrinka também obteve o dobro de winners (46 a 23), fato que compensou os seus 34 erros não-forçados, contra os 31 do tenista asiático.

Quem vencer o duelo entre Djokovic e Wawrinka terá pela frente na decisão do Aberto da Austrália o ganhador da partida entre o britânico Andy Murray e o checo Tomas Berdych, que será realizada nesta quinta-feira.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.