Glyn KIRK / AFP
Glyn KIRK / AFP

Djokovic admite perder US Open por não se imunizar contra covid: ‘Se penso em me vacinar? Não'

Em ação no Torneio de Wimbledon, tenista sérvio rechaça vacinação para participar de Grand Slam nos Estados Unidos

Redação, O Estado de S.Paulo

27 de junho de 2022 | 14h42

Novak Djokovic estreou bem no Torneio de Wimbledon, mas o tenista não chamou atenção somente pela vitória sobre o coreano Kwon Soon-Woo. Em entrevista coletiva nesta segunda-feira, o ex-número 1 do mundo voltou a causar polêmica ao ser questionado sobre a sua participação no US Open, marcado para agosto. Sem se vacinar contra a covid-19, o sérvio está impedido de entrar nos Estados Unidos por ora, mas garante que não vai se imunizar, admitindo o risco de perder o Grand Slam americano

"Não posso entrar nos Estados Unidos, sei disso, então tenho motivação extra para estar bem aqui. Tenho de esperar e ver o que acontece. Adorava ir aos Estados Unidos, mas atualmente não é possível. Não posso fazer muito, é algo que depende dos governo dos EUA. Se penso em me vacinar? Não", disse o tenista.

Esta não é a primeira vez que Djokovic põe em xeque sua participação em majors por não concordar com a vacinação contra a covid. Em fevereiro deste ano, ele também bateu o pé e disse que não participaria dos torneios de Roland Garros e Wimbledon caso a vacinação fosse quesito obrigatório — o que acabou não acontecendo. 

Antes de amargar o vice-campeonato de Roland Garros para Rafael Nadal, em maio, Djokovic havia disputado um major pela última vez em setembro de 2021, quando perdeu a final do US Open para Daniil Medvedev. Como ficou de fora no Aberto da Austrália, em janeiro deste ano, passou um longo período sem disputar Grand Slams. 

Foi justamente na Austrália onde o sérvio viveu seu momento mais tenso desde que adotou uma postura "antivacina". Ele foi expulso do país 15 dias depois de travar batalhas com o Tribunal Federal australiano e com o Ministério da Imigração pela sua permanência. Fora de ação, Nadal derrotou Medvedev na final e quebrou o recorde de conquistas de Grand Slams.  

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.