David Gray/Reuters
David Gray/Reuters

Djokovic vence Federer e vai à grande final do Aberto da Austrália

Sérvio supera suíço na semi por 3 sets a 0, com 7/6 (7/3), 7/5 e 6/4, e pega Murray ou Ferrer

AE, Agência Estado

27 de janeiro de 2011 | 10h39

MELBOURNE - Novak Djokovic venceu Roger Federer por 3 sets a 0, com parciais de 7/6 (7/3), 7/5 e 6/4, nesta quinta-feira, e avançou à final do Aberto da Austrália. Com o triunfo obtido após três horas de duelo, o tenista da Sérvia superou o favoritismo do segundo cabeça de chave em Melbourne e agora espera pela definição do seu rival na luta pelo título, que será conhecido nesta sexta na semifinal entre o espanhol David Ferrer e o britânico Andy Murray.

Atual terceiro colocado do ranking mundial, Djokovic interrompeu nesta quinta uma série de três derrotas seguidas para o tenista número 2 do mundo e acumulou o seu segundo triunfo consecutivo sobre o suíço em uma semifinal de Grand Slam - ele havia eliminado o rival no US Open do ano passado.

No retrospecto geral, o sérvio também superou o ampla vantagem de Federer, que acumulou a sua sétima derrota em 20 confrontos entre os dois tenistas. Apenas no ano passado, os dois se enfrentaram cinco vezes e recordista de títulos de Grand Slam levou a melhor em quatro delas. Federer também teve encerrada uma série invicta de 15 jogos no circuito profissional.

Atual campeão do Aberto da Austrália, Federer permitiu a Djokovic a chance de ganhar o seu segundo título em Melbourne, depois de o sérvio ter sido campeão da competição em 2008, naquela que é a sua única taça de Grand Slam até hoje.

No confronto desta quinta, Federer e Djokovic confirmaram os seus serviços em todos os primeiros 12 games e levaram a disputa ao tie-break, no qual o sérvio conseguiu dois pontos no saque do suíço e assim partiu para a vitória por 7/3.

Já na segunda parcial, Federer chegou a abrir 4 a 2, mas falhou na hora de confirmar o saque que lhe daria o empate no jogo, permitindo o empate em 5 a 5 ao rival, que obteve uma quebra de serviço na sequência e depois sacou para fazer 7/5.

No terceiro set, Djokovic conseguiu uma nova quebra de serviço e abriu 3 a 1 no placar, mas permitiu a reação de Federer, que devolveu a quebra para empatar em 4 a 4. Porém, logo no game seguinte, o sérvio voltou a ganhar no serviço do rival e depois confirmou o seu saque para fazer 6/4 e liquidar o duelo.

No final das contas, Djokovic aproveitou cinco das 14 chances que teve de vencer no saque de Federer, que só aproveitou três das dez oportunidades de quebrar o serviço do sérvio. O tenista número 3 do mundo ainda teve 69% de aproveitamento com o seu primeiro saque, contra 60% do suíço, que cometeu 44 erros não-forçados e obteve 35 winners, diante de 35 erros e 29 bolas vencedoras de seu adversário.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.