Duelo da Davis não assusta André Sá

O coração mineiro de André Sá já bate mais forte, mas o tenista garante que, passado os primeiros momentos do jogo, não teme a responsabilidade de abrir o confronto de Brasil x República Checa, jogando com o número 1 do time adversário, Jiri Novak. O tenista brasileiro faz sua primeira partida valendo na Davis - jogou outras duas só para cumprir tabela - e não quer deixar escapar a chance de mostrar sua força e talento. "Sempre tem àquele nervosismo normal de começo de Copa Davis, mas eu estou me sentindo bem, tivemos uma semana ótima de preparação e quero dar o meu melhor", disse. "Achei bom o resultado do sorteio, pois entrando logo na quadra poderia colocar uma pressão a mais no Novak, o número 1 checo, e espero fazer uma boa apresentação para dar tranqüilidade depois no jogo do Meligeni." Nas duas primeiras partidas de Sá na Davis, os confrontos já estavam decididos e ele entrou em quadra apenas para cumprir tabela. A estréia foi em Florianópolis, em 1997, quando ganhou de Alistan Hunt, da Nova Zelândia, por 6/2 e 6/2. Em 2000, na Austrália, perdeu para Lleyton Hewitt por 6/4 e 6/1. Agora, sua situação é bem diferente e também sente-se muito mais bem preparado e numa outra etapa de sua carreira, desde que passou a ser treinado por Marcus Barbosa, o Bocão. Sua pré-temporada, inclusive, foi ao lado de Gustavo Kuerten em Camboriu com Bocão e o técnico Larri Passos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.