Glyn Kirk/AFP
Glyn Kirk/AFP

Dúvida para final da Copa Davis, Federer exibe otimismo

Recordista sofre com dores nas costas e é derrotado pelo desgaste, mas mantém as esperanças para se recuperar a tempo da final

Estadão Conteúdo

17 de novembro de 2014 | 16h32

Ao ficar fora da decisão do ATP Finals, no último domingo, em Londres, Roger Federer automaticamente se tornou uma dúvida para o embate que valerá o título da Copa Davis, entre sexta-feira e domingo, em Lille, onde a Suíça enfrentará a França na série melhor de cinco partidas entre os dois países.

Com dores nas costas, o recordista de títulos de Grand Slam não reuniu condições de estar em quadra para enfrentar o sérvio Novak Djokovic, que se sagrou tricampeão consecutivo do ATP Finals sem precisar jogar. O suíço acabou vencido pelo desgaste acumulado na disputadíssima semifinal que travou com o seu compatriota Stan Wawrinka, no sábado, em Londres.

O tenista de 33 anos, porém, está confiante de que poderá se recuperar a tempo de atuar de forma competitiva diante dos franceses na decisão da Davis. "Quero me recuperar o mais breve possível e só depois viajar para a França e assim ficar pronto para jogar no saibro na final da Copa Davis", disse o tenista, por meio de declarações reproduzidas nesta segunda-feira pelo site oficial do principal torneio entre países do tênis masculino mundial.

"Esse espasmo nas costas, ou o que quer que seja, não é uma coisa muito legal de se ter durante o dia. É apenas desconfortável, mas sou positivo e estou esperançoso de que isso estará indo embora muito em breve", afirmou Federer, que chegou a salvar quatro match points para superar Wawrinka no último sábado.

"Eu estava me sentindo muito bem até o tie-break de ontem (sábado). De repente passei a sentir algo estranho nas costas. Tentei tratar com medicamentos, para recuperar a tempo, mas não foi o que aconteceu durante a noite. Quando você não tem um dia de descanso, obviamente não há tempo o suficiente para se recuperar", lamentou Federer, que depois admitiu: "Da forma como me sinto agora, não há uma maneira de eu poder competir em qualquer nível. Provavelmente em poucos dias eu estarei melhor".

Tudo o que sabemos sobre:
tênisCopa DavisRoger Federer

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.