Edgar Su/Reuters
Edgar Su/Reuters

Em jogo de viradas, Pliskova elimina Serena no Aberto da Austrália

Checa terá como adversária nas semifinais a japonesa Naomi Osaka, atual campeã do US Open

Redação, Estadão Conteúdo

23 Janeiro 2019 | 09h29

Em jogo marcado por reviravoltas e cinco match points, a checa Karolina Pliskova superou a favorita Serena Williams nesta quarta-feira, por 2 sets a 1, com parciais de 6/4, 4/6 e 7/5, e avançou à semifinal do Aberto da Austrália. Sua próxima adversária será a japonesa Naomi Osaka, atual campeã do US Open.

Para Serena, que era forte candidata ao título em Melbourne, a partida desta quarta teve ares dramáticos. E não por acaso. A norte-americana dominava o duelo com facilidade no terceiro set, quando cometeu um "foot fault" (colocou o pé sobre a linha no momento do saque) no seu primeiro match point. Em seguida, torceu o tornozelo esquerdo e perdeu a concentração na reta final do duelo.

Como consequência, Pliskova cresceu em quadra e, quando já parecia conformada com a vitória, venceu seis games em sequência, salvou mais três match points e sacramentou a inesperada vitória após 2h10min de confronto. "A minha cabeça já estava no vestiário", admitiu a checa, ao fim do duelo.

"Eu não tive muitas chances no terceiro set. Eu estava um pouco passiva em quadra. Obviamente, estava mal mentalmente. Então apenas disse: 'vamos tentar este game, fazer 5/2, talvez eu tenha algumas oportunidades'", disse a tenista número oito do mundo, que admitiu ter sido beneficiada pelo problema físico da rival. "Ela ficou um pouco abalada no fim. Então, aproveitei as minhas chances."

Serena, por sua vez, evitou culpar a torção no tornozelo pela derrota. "Meu tornozelo parece estar bem", disse a americana, que evitou pedir atendimento médico em quadra nos games finais do duelo. "Para ser honesta, não gosto de pedir atendimento. Naquele momento do jogo, achei que não precisava."

"Mas não acho que tenha alguma coisa a ver com o meu tornozelo. Foi ela que estava bem, acertando todos os golpes. Claro que eu cometi alguns erros, mas ela jogou muito bem", analisou a vice-campeã dos últimos dois Grand Slams, o US Open e Wimbledon de 2018. Em Melbourne, Serena mirava o 24º título deste nível para igualar o recorde da australiana Margaret Court.

Pliskova terminou o jogo com apenas uma quebra de saque a mais que a rival: cinco a quatro. Registrou ainda menos bolas vencedoras: 32 a 54. Porém, cometeu menos erros não forçados, com apenas 15, diante de 37 da americana.

Com o triunfo, a checa avançou a uma semifinal de Grand Slam pela terceira vez. Seu melhor resultado até hoje é o vice-campeonato do US Open, em 2016. No Aberto da Austrália, esta é a sua melhor campanha.

Em busca da primeira final em Melbourne, a checa vai encarar a japonesa Naomi Osaka, que eliminou também nesta quarta a ucraniana Elina Svitolina, 7ª do mundo. A campeã do US Open levou a melhor pelo placar de 6/4 e 6/1, em 1h12min de duelo. Atual número quatro do mundo, Osaka vai disputar sua segunda semifinal seguida de Grand Slam, após faturar o troféu em Nova York, no ano passado.

Com estes resultados, a briga pelo topo do ranking da WTA ficou restrito agora a apenas três tenistas: Pliskova, Osaka e a checa Petra Kvitova, que fará a outra semifinal do torneio, contra a norte-americana Danielle Collins.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.