Srdjan Suki/EFE
Srdjan Suki/EFE

Em jogo reiniciado, Thiem derrota Djokovic e reedita final com Nadal em Paris

Austríaco chega a passar sufoco com subida de sérvio, mas vence em mais de 4h de confronto no total

Redação, Estadão Conteúdo

08 de junho de 2019 | 12h06

No recomeço da semifinal de Roland Garros neste sábado, paralisada pela chuva na sexta-feira, o austríaco Dominic Thiem derrotou o sérvio Novak Djokovic por 3 sets a 2, com parciais de 6/2, 3/6, 7/5, 5/7 e 7/5, em 4h14 de confronto, e vai encarar Rafael Nadal na grande final, programada para este domingo. Será a reedição da decisão do torneio parisiense de 2018, que teve o espanhol, que nunca perdeu uma final em Paris, como campeão.

Assim como na sexta, a partida voltou a ser interrompida em razão das condições adversas do clima antes de ser concluída. Ao todo, foram três interrupções por conta da chuva. A pausa deste sábado durou pouco menos de uma hora e não atrapalhou Thiem, que apesar de ter mostrado certa instabilidade na retomada do jogo no quinto e derradeiro set depois de ceder uma quebra para o rival sérvio, retomou a confiança e fechou a longa parcial em 7 a 5 e, consequentemente, o jogo.

"Foi o meu primeiro jogo de cinco sets em Roland Garros. É um bom começo. Estava aqui na semifinal com talvez os três melhores jogadores de todos os tempos. Foi inacreditável hoje para mim", comemorou Thiem, que não se intimidou para derrubar a série de três títulos seguidos de Djokovic em Grand Slams.

Com a decisão no domingo, Nadal terá um dia a mais de descanso do que o rival, já que venceu Roger Federer na semifinal na sexta. Com 11 títulos em Roland Garros, o espanhol número 2 do mundo tentará se tornar o primeiro tenista da história a ter 12 conquistas em um único Grand Slam, enquanto que o austríaco, quarto do ranking, buscará seu primeiro troféu. Ele foi vice-campeão do torneio parisiense em 2018 e tem sido um adversário duro para Nadal. Ano passado, o atual vice-líder do ranking venceu a final em sets diretos. Neste ano, vem com moral ao despachar Federer com propriedade na semifinal. No único encontro entre eles no saibro em 2019, Thiem levou a melhor na semifinal do ATP de Barcelona, com uma vitória por 2 sets a 0, duplo 6/4.

O jogo foi reiniciado neste sábado na quadra Philippe Chatrier com Thiem vencendo o terceiro set por 3/1 e com o saque na mão, depois de ter liquidado a primeira parcial em 6/2 e o tenista número 1 do mundo empatado o duelo na segunda com um triunfo por 6/3. O número 4 do ranking havia vencido o set inicial sem oferecer chances de quebra, mas Djokovic reagiu na parcial seguinte depois de aproveitar a única oportunidade de quebra que teve.

Na continuação do terceiro set, Djokovic esteve melhor inicialmente até quebrar o saque do adversário e deixar o jogo empatado em 4/4. No entanto, o jovem austríaco, forte mentalmente, não se abalou, retomou a força no saque e a agressividade nas devoluções para forçar a quebra do saque de Djokovic que valeu a parcial em 7/5.

O quarto set apresentou tenistas oscilantes, de modo que rivais trocaram quebras e se alternaram no placar. Djokovic liderou por 4/2, tomou a virada do jovem austríaco, que fez 5/4, mas não sustentou a vantagem e abusou dos erros não forçados para perder os três games seguintes. O sérvio líder do ranking devolveu o 7/5, forçando o quinto set.

Na última parcial, mais instabilidade dos dois, além de drama e tensão. Thiem desperdiçou uma quebra no segundo game, mas o fez no game seguinte e, beneficiado pelos erros consecutivos do oponente, abriu 4/1. Foi quando a chuva voltou a cair e interrompeu o jogo mais uma vez. A pausa, que durou quase uma hora, foi benéfica para Djokovic, que reagiu ao confirmar seu serviço e quebrar o saque do rival na sequência.

No entanto, a reação do sérvio deu lugar à irregularidade, novamente muito bem aproveitada por Thiem, que abriu 5/3. O austríaco foi quem passou a cometer erros na sequência, desperdiçar dois match points, tomar a quebra de volta e ver o jogo ficar empatado em 5/5. Thiem se concentrou, foi firme no saque, arrojado nas devoluções e fechou a partida em 7/5 com um forehand impecável na paralela.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.