Em Madri, modelos pegadoras de bola

Nem só de boas raquetadas vive um bom torneio de tênis. Os organizadores do Masters Series de Madri, sem querer perder espaço para o tênis feminino, com atrações como as beldades russas Maria Sharapova ou Anastasia Myskina, resolveram dar um tom mais atraente para as competições do masculino: usarão modelos como pegadores de bola. A princípio, as modelos só irão "desfilar" na primeira partida da sessão noturna, às 19h30 local, nas rodadas de segunda a sexta-feira.Assim, todas as noites, o Rockódromo de Madri, local dos jogos, irá transformar-se numa passarela. "O torneio tem uma audiência de 35 milhões de espectadores em todo o mundo. Qual passarela é tão vista?", comparou Brianc Pinault, diretor de uma grife alemã, que tradicionalmente veste os pegadores de bolas, em várias competições internacionais.Antes de aparecerem para um público tão numeroso, as garotas tiveram de fazer um curso intensivo para se familiarizarem com as regras e como pegar bolas, sem atrapalhar a concentração dos tenistas ou interromper o jogo. Mas a tarefa parece não ter sido nada fácil, como explicou o instrutor Julio Neto, que esteve com as 26 modelos por três semanas. "O mais difícil é que as garotas não vieram das quadras e sim das passarelas. Algumas não tinham qualquer noção do jogo e tivemos de começar do zero. Falar de tie break, parecia como se estivesse falando em chinês." O ensaio geral, porém, prenuncia um sucesso. Num dos jogos do qualifying as modelos pegadores de bola, ou recogepelotas como dizem os espanhóis, agiram bem e tudo correu dentro do previsto. "Acho que arrasamos", disse uma das participantes. "Só que levei uma bolada", reclamou rindo.E antes mesmo de oficialmente aberta a temporada mais fashion do tênis, a repercussão já é grande. Os mais conservadores canais da Espanha revelam que a decisão de usar modelos é machista e pode estar tirando das crianças a oportunidade de estarem num torneio de tênis pegando bolas para os grandes ídolos do esporte.A polêmica promete e em Eindhoven, onde disputa um torneio de veteranos, o croata Goran Ivanisevic fez questão de mandar recado, telefonando para o torneio e enviando mensagem pelo assessor de imprensa David Law. "Acho que me aposentei muito cedo", disse o ex-campeão de Wimbledon, em comunicado. "Talvez vá pedir um wild card (convite) para poder participar do próximo torneio. Mas não sei se estaria em condições de jogo, só queria mesmo era pegar alguns números de telefones." Para não manter o tom machista, o diretor do torneio, Manolo Santana, um dos maiores nomes do tênis espanhol, já encontrou a solução. "Quem sabe não podemos usar modelos homens nos torneios femininos."

Agencia Estado,

17 de outubro de 2004 | 16h05

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.