Emilio Sánchez pede 'doação a mais' ao Brasil na Davis

'Temos que pensar não em ganhar, mas em sermos competitivos', disse o coordenador da CBT

AE, Agência Estado

15 de setembro de 2010 | 10h34

Coordenador da Confederação Brasileira de Tênis (CBT), o espanhol Emílio Sanchez se juntou à equipe do Brasil que se prepara para o duelo contra a Índia, que começará na próxima sexta-feira, em Chennai (IND), e valerá uma vaga no Grupo Mundial da Copa Davis. E, logo em seu primeiro contato com os tenistas do País, pediu a eles que mostrem uma determinação extra para conquistar o objetivo.

Campeão da Copa Davis como capitão da Espanha em 2008, o ex-tenista espanhol lembrou que é preciso pensar não apenas em vencer, mas, acima de tudo, em se esforçar mais do que o normal para sair vencedor da série melhor de cinco partidas que definirá o ganhador do confronto entre brasileiros e indianos.

"Eu vejo a equipe brasileira bem, com vontade, com respeito ao rival e sabendo que terá cinco jogos difíceis pela frente. Temos que pensar não em ganhar, mas em sermos competitivos. Se formos competitivos, criaremos oportunidades e temos de aproveitá-las. A Copa Davis é uma competição em que os jogadores têm de se doar mais do que o necessário pela equipe. Só assim é possível vencer", ressaltou Emílio Sanchez, que está auxiliando o capitão brasileiro João Zwetsch nos treinamentos na Índia.

Na última terça-feira, Sanchez trabalhou principalmente ao lado de Ricardo Mello e Thiago Alves, este último um dos tenistas reservas da equipe brasileira ao lado de Guilherme Clezar e Rafael Camilo. Thomaz Bellucci, o número 1 do País, lidera a equipe brasileira, que além de Ricardo Mello conta como titulares Bruno Soares e Marcelo Melo, que irão representar o País no duelo de duplas no próximo sábado.

Pela primeira vez ao lado de uma equipe brasileira na Davis, Emílio Sanchez ressaltou que Bellucci precisa exercer liderança sobre os demais brasileiros diante dos indianos e prevê um confronto complicado para Soares e Melo nas duplas. "A dupla é uma dupla bastante competitiva, mas que deve ter mais trabalho no sábado. E Thomaz tem de ser o líder da equipe, ele tem de estar ciente disso, pois tem todas as condições para tal. Se ele estiver bem, todos estarão", enfatizou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.