Emilio Sanchez vê tênis brasileiro em bom momento

Agora coordenador técnico da Confederação Brasileira de Tênis (CBT), o espanhol Emílio Sanchez usa a sua experiência de ex-número sete do ranking mundial para avaliar o momento do tênis brasileiro. Segundo ele, a situação atual é boa.

ANDRÉ AVELAR, Agencia Estado

22 de maio de 2009 | 14h06

O Brasil terá três tenistas na chave principal de Roland Garros, que começa no domingo - Thomaz Bellucci, Marcos Daniel e Franco Ferreiro. E vai encarar o Equador, em setembro, na luta por uma vaga na divisão de elite da Copa Davis.

"Thomaz está a frente dos outros brasileiros. Ele já está entre os melhores e tem condições de fazer bons torneios", afirmou Emilio Sanchez, em entrevista nesta sexta-feira. "Falta a ele querer um pouco mais, tem que encontrar sua confiança e, por aí, melhorar mais e mais."

"Há uma grande esperança para a próxima fase da Copa Davis. Mas é hora de ter o pé no chão, a cabeça no lugar e lembrar que não conseguimos nada ainda", disse Emilio Sanchez. "De nada vai adiantar a vitória contra a Colômbia (na fase anterior do torneio) se não passarmos pelo Equador."

Tudo o que sabemos sobre:
tênisEmilio Sanchez

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.