Especialistas apostam em Guga

Será que Gustavo Kuerten vai voltar a mostrar o seu melhor tênis? Depois da derrota para o espanhol Albert Montañes, na segunda rodada do Masters Series de Roma, muita gente franziu a testa e passou a duvidar da possibilidade de Guga recuperar a força de seu jogo. Mas ex-jogadores e técnicos, todos com grande experiência no circuito internacional, tratam de tranqüilizar a torcida e há até mesmo quem arrisque a dizer que o tenista brasileiro irá conquistar o tetracampeonato de Roland Garros.A afirmação é de Marcelo Meyer, um dos mais competentes treinadores do País. Ele garante que não há doses exageradas de otimismo na sua expectativa, mas sim a certeza de que Guga conseguiu mostrar em pouco tempo um nível razoável de jogo e, o melhor, não acusou qualquer problema de lesão."Hoje o tênis está num nivel competitivo muito elevado e é difícil um jogador na condição do Guga, vindo de uma grave lesão, tendo passado vários meses só perdendo jogos, como aconteceu no segundo semestre do ano passado, voltar ao circuito e já ir ganhando títulos", assegurou Meyer. "Só lamento que não tenha passado mais uma rodada em Maiorca e Roma para pegar ritmo, mas terá ainda Hamburgo pela frente e acho que vai chegar inteiro em Roland Garros, podendo conquistar o tetracampeonato." Para o ex-tenista Nelson Aerts, o mais importante foi que Guga voltou com saúde. "Em nenhum momento mostrou que ainda possa estar sentindo a lesão", disse. Neco, como Aerts é conhecido, revelou ainda que nenhum tenista, nos dias de hoje, consegue manter a mesma regularidade de outros tempos. "O Hewitt (Lleyton) e o Ferrero (Juan Carlos) já não estão ganhando tantos jogos como antes", afirmou. "Acredito que o Guga voltou forte e isso o torna novamente um jogador muito perigoso." Essa certeza também faz parte de outro ex-tenista, Mauro Menezes. Sua preocupação inicial era a de que Guga poderia ter voltado um pouco cedo demais, mas depois de vê-lo em ação em Roma ficou mais tranqüilo. "A tendência é de o Guga melhoarar cada vez mais. Precisa de tempo para treinar e acho que agora apenas uma questão de ritmo de jogo." Para Danilo Marcelino, também ex-tenista e hoje da Try Tennis, promotora de torneios no Brasil, Guga sente ainda um pouco de desgaste físico e não aguenta manter o mesmo nível de jogo no final das partidas. Por isso, não tem certeza de que se até Roland Garros irá recuperar o seu melhor tênis.Enquanto isso, Guga já embarca nesta sexta-feira para Hamburgo e confessa que só mesmo um milagre poderia fazer com que voltasse a jogar o seu melhor de uma hora para outra. "Já estou muito feliz por estar jogando novamente os grandes torneios e acho que isso é o mais importante." Em Roma, um dos únicos favoritos que ainda continua na disputa, Andre Agassi passou para às quartas-de-final ao derrotar Agustin Calleri por 7/6 (7/5) e 6/4. Albert Costa ganhou de Albert Montañes por 7/6 (7/5) e 6/3, Jiri Novak de Ivan Ljubicic por 6/4 e 6/1 e Tommy Haas de Sebastien Grosjean por 6/3 e 6/4.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.