Matheus Jofre/Arquivo CBT
Matheus Jofre/Arquivo CBT

Ex-auxiliar, Roberta Burzagli será a nova capitã do Brasil na Fed Cup

Fernando Roese deixa o cargo e substituta iniciará trabalho de integração entre base e profissional

Felipe Rosa Mendes, Estadão Conteúdo

01 Novembro 2018 | 16h58

A equipe de tênis do Brasil na Fed Cup vai passar por uma mudança em seu comando. Fernando Roese, que liderava o time desde 2016, será substituído pela paulista Roberta Burzagli, que já integrava a comissão técnica como auxiliar do então capitão. Em sua nova função, a ex-tenista terá como missão fazer um trabalho integrado desde a base no tênis feminino nacional.

Ela vai comandar a equipe pela primeira vez no Zonal Americano I da Fed Cup em 2019, entre os dias 6 e 9 de fevereiro no Club Campestre, na cidade de Rionegro, na Colômbia. Para exercer a função, Roberta vai contar com a experiência obtida em seus 14 anos como técnica do quadro da ITF no Grand Slam Development Fund, que reúne e treina as melhores atletas estrangeiras, e em seus 20 anos acompanhando equipes de diferentes países na Fed Cup, Mundiais e Sul-Americanos juvenis.

Pelo Brasil, foi capitã de times juvenis na base e também atuou como auxiliar na equipe principal quando a principal responsável pela seleção era Carla Tiene. "Sempre trabalhei com meninas de outros países e agora poder usar toda minha experiência com o tênis feminino mundial no nosso tênis brasileiro, como capitã da Fed Cup, será muito gratificante", diz Roberta, ciente do novo desafio que terá pela frente.

O tênis feminino brasileiro segue com apenas uma representante entre as melhores do mundo, com Beatriz Haddad Maia figurando atualmente na 235ª posição do ranking da WTA. "A CBT pretende fazer um trabalho desde a base em outras categorias, então será um grande desafio e me sinto preparada para isso", afirma a nova capitã do Brasil na Fed Cup.

Em seu currículo, ela tem ainda trabalhos em parceria com tenistas relevantes do circuito como a letã Jelena Ostapenko, campeã de Roland Garros no ano passado, e as paraguaias Verónica Cepede e Montserrat Gonzalez. Roberta, de 45 anos, chegou a se destacar como tenista na época do juvenil, nos anos 80. Chegou a ser campeã do Banana Bowl, tradicional torneio juvenil do Brasil, em 1991.

Roese vai deixar o time brasileiro na Fed Cup apesar do bom recente resultado na competição. Neste ano, ajudou a levar a equipe à final do Zonal Americano I em Assunção, no Paraguai. Ele deixa as funções em comum acordo com a diretoria da Confederação Brasileira de Tênis (CBT).

"Estamos muito satisfeitos com o trabalho realizado pelo Fernando Roese nestes anos, e agora acreditamos que, com a entrada da Roberta, com toda sua experiência, podemos crescer mais ainda", diz o gerente de Esportes e Eventos da CBT, Eduardo Frick. "Nosso objetivo é desenvolver um novo trabalho com o feminino para desenvolvermos um projeto sólido para atingirmos resultados muito mais expressivos pra os próximos anos com as categorias de base projetando ao alto rendimento, transição e profissional."

 

 

Mais conteúdo sobre:
tênisFernando RoeseFed Cup

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.