Reuters/Tony O'Brien
Reuters/Tony O'Brien

Ex-ministra francesa é condenada a pagar R$ 38,5 mil por danos morais a Nadal

Ela acusou tenista espanhol de doping na televisão francesa

Estadão Conteúdo

16 Novembro 2017 | 18h42

Ex-ministra de Saúde e Esportes da França, Rosalyne Bachelot, foi condenada nesta quinta-feira a pagar 10 mil euros (o equivalente a R$ 38,5 mil, na cotação atual) de danos morais para o tenista espanhol Rafael Nadal, depois de tê-lo acusado de doping na televisão francesa, em março de 2016.

+ Federer passa invicto para as semifinais do ATP Finals

"É sabido que a famosa lesão de Nadal, quando ficou parado sete meses (em 2012), foi na verdade porque ele testou positivo em um exame de doping", disse a ex-ministra, em programa da emissora francesa D8.

O tenista logo desmentiu a afirmação e, em abril de 2016, escreveu ao presidente da Federação Internacional de Tênis (ITF, na sigla em inglês) pedindo para que todos seus exames de doping fossem tornados públicos. Além disso, acionou a justiça, pedindo reparação de danos morais pela difamação feita por Bachelot.

O tribunal francês deu ganho de causa a Nadal e determinou ainda que a ex-ministra pagasse mais 500 euros (R$ 1.927) de multa ao espanhol. O tenista diz que doará o valor para alguma fundação ou organização não governamental da França, afirmando que a ação nunca foi motivada por dinheiro.

"Quando eu entrei com processo contra a senhora Bachelot, eu pretendia não apenas defender minha integridade e minha imagem como atleta, mas também os valores que defendi em toda minha carreira", disse o tenista, que também afirma querer evitar que figuras públicas voltem a difamar atletas sem provas ou evidências.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.