Saeed Khan/ AFP
Saeed Khan/ AFP

Ex-tenista Boris Becker é julgado em acusação de esconder bens para pagar dívidas

Alemão nega todas as acusações e pode pegar no máximo sete anos de prisão se for condenado pelos crimes

AFP, O Estado de S.Paulo

21 de março de 2022 | 12h18

O ex-tenista alemão Boris Becker está sendo julgado em Londres a partir desta segunda-feira por supostamente esconder bens quando entrou com pedido de falência, a mais recente reviravolta na conturbada carreira do ex-número um do mundo. Becker chegou ao Tribunal de Southwark Crown pela manhã, no sul da capital britânica, acusado de esconder seus troféus de Wimbledon e do Aberto da Austrália, além de várias propriedades e cerca de 1,8 milhão de libras (US$ 2,3 milhões).

Quando entrou com pedido de falência em junho de 2017, suas dívidas eram estimadas em cerca de 50 milhões de libras. O alemão, vencedor de seis títulos de Grand Slam, um ouro olímpico em Barcelona 1992 (em duplas), pode pegar no máximo sete anos de prisão se for condenado.

Em audiências preliminares, Becker foi acusado de possuir um apartamento em um bairro nobre de Londres, e duas propriedades não declaradas na Alemanha entre junho e outubro de 2017.

Ele também é acusado de desviar centenas de milhares de libras ao transferi-las para outras contas, incluindo as de suas duas ex-esposas Barbara Becker e Sharlely Becker. O ex-tenista também teria ações ocultas da empresa de inteligência artificial Breaking Data Corp e seus troféus de tênis.

Becker nega todas as acusações. E, embora viva em Londres e seu advogado reconheça que seu inglês é "muito bom", ele planeja usar um intérprete para testemunhar no julgamento, que deve durar três semanas.

Tudo o que sabemos sobre:
Boris BeckerGrand Slamtênis

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.