Erik Simander/ REUTERS
Erik Simander/ REUTERS

Ex-Top 10, Ernests Gulbis bate John Isner e volta a uma final de ATP após 4 anos

Neste domingo, tentará manter a marca de 100% de aproveitamento em decisões - esta será a sétima de sua carreira profissional

Estadão Conteúdo

20 Outubro 2018 | 17h46

Um dos tenistas mais talentosos e excêntricos do circuito profissional, o letão Ernests Gulbis está de volta a uma final de torneio da ATP após quatro anos. Lutando para recuperar a boa forma que o levou a figurar no Top 10 do ranking, o atual número 145 derrotou neste sábado o norte-americano John Isner por 2 sets a 1 - parciais de 1/6, 6/3 e 6/3 - e avançou à decisão do ATP 250 de Estocolmo, na Suécia, disputado em quadras duras.

Aos 30 anos, Gulbis chega a uma final desde o título conquistado em Nice, na França, em 2014. Neste domingo, tentará manter a marca de 100% de aproveitamento em decisões - esta será a sétima de sua carreira profissional.

Para isso, o tenista da Letônia terá de vencer uma das revelações da temporada. O adversário será o grego Stefanos Tsitsipas, que levou a melhor sobre o italiano Fabio Fognini, em duelo entre os cabeças de chave 3 e 2, respectivamente, por 2 sets a 0 - com parciais de 6/3 e 6/2. Será a primeira vez que os dois irão medir forças no circuito profissional.

NA RÚSSIA - O ATP 250 de Moscou teve neste sábado uma semifinal que mexeu com as emoções do torcedor russo. Dois atletas da casa entraram em quadra na luta por uma vaga na decisão e foi Karen Kachanov, cabeça de chave número 3 e convidado da organização, que levou a melhor sobre Daniil Medvedev, segundo pré-classificado, com a vitória por 2 sets a 1 - com parciais de 6/1, 6/7 (5/7) e 6/3.

Atual número 26 do mundo, Khachanov tentará conquistar o seu segundo título nesta temporada e o terceiro da carreira profissional. Neste domingo, na quadra dura da capital russa, seu rival será o francês Adrian Mannarino, que ganhou a sua semifinal contra o italiano Andreas Seppi por 2 sets a 0, com um duplo 7/5.

Será a quarta vez que os dois se cruzarão. O russo de 22 anos levou a melhor nos dois confrontos em nível ATP. O francês venceu quando mediram forças pelas quartas de final do Challenger de Mouilleron Le Captif, na França, em 2015.

NA BÉLGICA - A decisão do ATP 250 da Antuérpia poderia ser toda francesa, mas não será isso que o torcedor belga verá. Neste sábado, Gael Monfils fez a sua parte e avançou ao derrotar o argentino Diego Schwartzman por 2 sets a 0, com parciais de 6/3 e 6/4. Mas depois Richard Gasquet não conseguiu o mesmo êxito e caiu para o britânico Kyle Edmund com o mesmo placar.

Mais experiente, Monfils entrará em quadra para a disputa da final com vantagem no retrospecto direto contra Edmund, tendo vencido o único duelo que tiveram até então, no ano passado, pela segunda rodada de Wimbledon. O francês tentará levantar a sua segunda taça da temporada e a oitava da carreira, enquanto que o britânico busca um título inédito.

Nas duplas, o brasileiro Marcelo Demoliner, que joga com o mexicano Santiago González, conheceu neste sábado os rivais da final neste domingo. Serão os franceses Nicolas Mahut e Edouard Roger-Vasselin, que venceram na semifinal a parceria formada pelo indiano Divij Sharan e pelo neozelandês Artem Sitak por 2 sets a 0 - com parciais de 7/5 e 7/6 (7/3).

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.