Favoritos avançam e contusões se acumulam na Austrália

A normalidade foi restabelecida no Aberto da Austrália neste sábado. Roger Federer e Serena Williams superaram facilmente seus adversários para garantirem lugar na segunda semana do torneio e Lleyton Hewitt deu esperanças aos australianos de verem um compatriota campeão ao vencer mais uma partida.

JULIAN LINDEN, REUTERS

23 de janeiro de 2010 | 11h58

O único local mais movimentado que a Arena Rod Laver era o ambulatório médico. Três jogadores, incluindo o vice-campeão de 2006, Marcos Baghdatis, sucumbiram depois de sofrerem contusões. O que prova que o primeiro torneio de Grand Slam do ano tem a merecida reputação de ser um teste tanto de resistência quanto de habilidade.

O público que lotava a quadra central se mostrava muito ansioso quando Baghdatis e Hewitt preparavam-se para duelar. O último confronto entre os dois foi um épico de mais de quatro horas e meia de duração, mas esse teve um fim muito mais súbito.

Hewitt venceu o primeiro set por 6-0 e liderava as parciais no segundo por 4-2 quando Baghdatis desistiu, impossibilitado de jogar em razão de uma contusão no ombro.

Em partida que aconteceu no começo do dia, o austríaco Stefan Koubek abandonou a quadra ainda no primeiro set de seu jogo contra o espanhol Fernando Verdasco em razão do mal estar provocado por um vírus desconhecido.

Mikhail Youzhny, da Rússia, deixou a quadra antes mesmo de sua partida começar, em razão de problemas no pulso, o que deu ao polonês Lukasz Kubot a passagem direta para a próxima fase.

Entre as partidas da terceira rodada que foram disputadas até o fim, a lógica dos favoritos prevaleceu em todas, até mesmo depois de Nadia Petrova ter dado esperança aos pretendentes a estraga-prazeres de favoritos que ainda estavam no torneio, quando derrotou Kim Clijsters na sexta-feira.

Federer, cuja autoconfiança vem crescendo a cada partida, mostrou um jogo poderoso diante do espanhol Albert Montanés, vencendo por 6-3, 6-4 e 6-4 e aumentando seu inacreditável recorde de presença nas oitavas de final de todos os Grand Slams que disputou desde o Aberto da França de 2004.

"Eu não quero dizer que estou jogando o melhor tênis da minha vida porque sei que ainda não cheguei tão longe", disse o número um do mundo.

"Eu obviamente estou me sentindo ótimo e pronto para enfrentar os caras bons."

Serena Williams também conseguiu seu melhor desempenho na semana, passando por cima da espanhola Carla Súarez Navarro por 6-0 e 6-3, seguindo no caminho de defesa de seu título, conquistado no ano passado, seu quarto no Aberto da Austrália.

"Eu acho que joguei para o gasto", disse a norte-americana. "Eu sinto que ainda posso fazer melhor."

Venus, sua irmã mais velha, enfrentou um pouco mais de dificuldade, mas conseguiu marcar 6-1 e 7-6 para vencer a australiana Casey Dallacqua. O Aberto da Austrália não traz as melhores lembranças para Venus, ainda que seja claro que ela ainda não desistiu de conquistar um título em quadras australianas

"Quem é que se dá por satisfeito? Os jogadores que se aposentaram", disse ela. "Aqueles que ainda estão jogando nunca estão satisfeitos. Eu acho que realmente essa é a minha atitude."

Tudo o que sabemos sobre:
TENISAUSTRALIAFAVORITOS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.