Favoritos passam à terceira rodada

Roger Federer mostrou estar forte como nunca para vencer um torneio no saibro. Derrotou o espanhol Nicolas Almagro por 3 sets a 0 - 6/3, 7/6 (7/0) e 6/2 - e apesar da dificuldade no segundo set, jamais perdeu o controle da partida. Feliz da vida, simpático e sorridente caminha para conquistar o único título de Grand Slam que falta em sua ainda nova carreira. Na próxima rodada, desafia um especialista na superfície que os franceses chamam de "terra batida". Só que a primeira quarta-feira de Roland Garros é tradicionalmente o dia das crianças, quando são distribuidos gratuitamente ingressos para diversas escolas francesas. E como numa homenagem, quem fez a festa foram dois jovens tenistas, Rafael Nadal e Richard Gasquet, duas das mais badaladas revelações do tênis e que por ironia irão se cruzar já na próxima rodada de Roland Garros. Nadal é o favorito dos favoritos e hoje passou pelo belga Xavier Malisse por 6/2, 6/2 e 6/4. Com tantas vitórias no saibro, passou a ser apontado por todos como o maior candidato ao título. Como a classe de tenista é uma das mais individualistas que pode existir, todos os outros jogadores, como meio de colocar pressão no jovem espanhol, não hesitam em lhe dar a responsabilidade de levantar o troféu conhecido como a Taça dos Mosqueteiros. "Não me sinto favorito", já tratou de afugentar a pressão Nadal, em repetidas vezes nas entrevistas. "Está a primeira vez que jogo Roland Garros", justifica o jogador que nos dois últimos anos não pôde jogar em Paris, por causa de problemas físicos. Gasquet sonha em ser o primeiro francês, desde Yannick Noah em 1983, a celebrar o título de Roland Garros. Comedido e esperto está longe de comentar o assunto. Vem credenciado pelo fato de ser um dos dois únicos tenistas a terem vencido Roger Federer na temporada e, hoje, passou pelo holandês Peter Wessels por 6/3, 7/6 (7/1) e 6/1. Nos outros jogos do masculino, Gaston Gaudio - campeão do ano passado - nem precisou jogar para avançar. Seu adversário, o russo Dmitry Tursonov abandonou o torneio com uma lesão no joelho. Carlos Moya suou para derrotar o checo Robin Vik por 7/6 (8/6), 6/7 (7/4), 6/3 e 6/1, enquanto David Nalbandian marcou 6/3, 6/2 e 6/1 em Tomas Berdych.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.