Federação catarinense aciona CBT

A Confederação Brasileira de Tênis tem um problema para resolver. Uma de suas filiadas, a Federação Catarinense, entrou na Justiça pelo direito de verificar as atas das assembléias de prestação de contas da CBT dos exercícios fiscais de 1999, 2000 e 2001, além dos documentos contábeis de 2002. Segundo Jorge Lacerda Rosa, o presidente da FCT, não foi encontrada nem a ata da reeleição do presidente da CBT, Nelson Nastás, de 2000. Apesar de a sede da CBT estar em São Paulo, as ações estão correndo no Rio porque, segundo Rosa, foi lá que a entidade foi fundada, em 1954. ?O mais estranho foi que a CBT se apressou em registrar em cartório as atas de 2001 e 2002 assim que entramos com a ação. Mas encontramos vários erros, como a falta de referência a uma dívida de R$ 147.305,00, relativa ao contrato de realização da Copa Davis de 2001 em Florianópolis?, afirma Rosa. ?E o mais grave é que na correria foram esquecidas atas de 1999 e 2000.? O juiz, afirma Rosa, já mandou citar o réu. Se a FCT ganhar a causa, Nastás pode ser destituído da direção da CBT e depois até responder civil e criminalmente. Nelson Nastás, presidente da CBT, procurado pela reportagem da Agência Estado, não respondeu às ligações. A CBT está ajudando a organizar o primeiro congresso da Federação Internacional de Tênis, a ITF, no País, que será no Rio, em setembro.

Agencia Estado,

14 de julho de 2003 | 20h20

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.