Federação Russa de Tênis quer usar a Crimeia como base

Os dirigentes do tênis russo querem usar a região da Crimeia, anexada pelo país, para ajudar a desenvolver jogadores, disse o diretor da federação nacional. O clima ameno da Crimeia é ideal para o tênis, e o esporte elevaria o perfil da disputada região, que a Rússia tomou da Ucrânia no ano passado, disse Shamil Tarpishchev.

Estadão Conteúdo

14 de janeiro de 2015 | 14h17

A Crimeia "bate toda a Europa em termos de condições climáticas" para o tênis,

permitindo que os jogadores treinem o ano todo, afirmou o dirigente. Quinze treinadores que fugiram de Donetsk, cidade devastada pela guerra no Leste da Ucrânia, agora "querem trabalhar na Crimeia", acrescentou.

No entanto, Tarpishchev admitiu que muitas das quadras da era soviética da Crimeia precisariam passar por reformas para serem utilizadas. O sucesso do projeto poderia moldar a identidade da região sob domínio russo, sugeriu o dirigente, descrevendo o tênis como "a face da Crimeia".

Desde a anexação do ano passado, a cena esportiva da Crimeia está turbulenta, com alguns atletas locais que optam por representar a Rússia e alguns escolhendo a Ucrânia.

Um ano atrás, a península tinha dois clubes na primeira divisão do futebol da Ucrânia, mas agora estão sem jogos oficiais depois de a Uefa determinar que os clubes russos não podem participar de competições russas. Ao invés disso, a entidade afirmou que iria administrar o futebol da Crimeia diretamente como parte de uma "zona especial", mas sem dar detalhes. Entretanto, nenhum torneio está sendo disputado.

Tudo o que sabemos sobre:
tênisRússiaCrimeia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.