Saeed Khan/AFP
Saeed Khan/AFP

Federer arrasa alemão em estreia e vai às quartas em Brisbane

Suíço bate Tobias Kamke por 2 sets a 0, com parciais de 6/2 e 6/1

Estadão Conteúdo

07 de janeiro de 2016 | 10h13

O suíço Roger Federer não teve qualquer trabalho para confirmar seu favoritismo na estreia e se garantir nas quartas de final do Torneio de Brisbane. Nesta quinta-feira, o cabeça de chave número 1 da competição despachou o alemão Tobias Kamke por 2 sets a 0, com parciais de 6/2 e 6/1, e manteve-se na briga pelo título.

Federer precisou de somente 55 minutos de partida para despachar o número 233 do mundo e confirmar sua segunda vitória em duas partidas diante do adversário - a outra havia acontecido em Roland Garros, há quatro anos. Foram cinco quebras em seis oportunidades para o suíço, que salvou o único break point que cedeu ao rival.

Número 3 do mundo, Federer continua em busca de seu 89.º título de simples na carreira, que seria o primeiro em 2016. Um dos melhores tenistas de todos os tempos, ele disputou o Torneio de Brisbane somente em duas oportunidades, tendo chegado na decisão de ambas. Na primeira, em 2013, caiu diante de Lleyton Hewitt, e na segunda, no ano passado, foi campeão ao bater Milos Raonic.

Nas quartas de final da edição de 2016, o suíço terá pela frente o búlgaro Grigor Dimitrov. Número 28 do mundo, ele avançou ao derrotar nas oitavas o sérvio Viktor Troicki por 2 sets a 1, de virada, com parciais de 5/7, 7/6 (8/6) e 6/2.

Quem também se garantiu nas quartas nesta quinta-feira foi Milos Raonic. Atual vice-campeão do torneio, o cabeça de chave número 4 também suou, mas derrotou o croata Ivan Dodig por 2 sets a 1, de virada, com parciais de 6/7 (2/7), 6/1 e 6/4.

Agora, Raonic encarará a grande surpresa da competição até o momento. Ele terá pela frente o francês Lucas Pouille, número 78 do mundo, que eliminou nesta quinta o sexto cabeça de chave do torneio, o belga David Goffin, por 2 sets a 1, com parciais de 7/6 (7/5), 4/6 e 6/3.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.