Tracey Nearmy/EFE
Tracey Nearmy/EFE

Federer obtém 300ª vitória em Grand Slams; Djokovic supera freguês

Veterano, tenista suíço ganha de Grigor Dimitrov por 3 sets a 1

Estadão Conteúdo

22 Janeiro 2016 | 09h22

Roger Federer acumulou mais um número histórico de sua assombrosa carreira nesta sexta-feira. Ao bater o búlgaro Grigor Dimitrov por 3 sets a 1, com parciais de 6/4, 3/6, 6/1 e 6/4, e avançar às oitavas de final do Aberto da Austrália, o tenista suíço alcançou a sua 300ª vitória em Grand Slams.

Recordista masculino absoluto de triunfos na série de torneios mais importante do circuito profissional, o atual terceiro colocado do ranking mundial agora já mira o recorde geral entre homens e mulheres, que pertence a Martina Navratilova, que tem 306 triunfos em partidas de simples em Grand Slams.

Para se ter uma ideia de quão expressivo é este recorde de Federer, o segundo tenista com maior número de vitórias em Grand Slams é o norte-americano Jimmy Connors, uma lenda da modalidade, com "apenas" 233 triunfos.

Ao passar por Dimitrov, Federer se credenciou para enfrentar na próxima fase o belga David Goffin, 15º cabeça de chave, que em outro jogo do dia superou o austríaco Dominic Thiem por 3 sets a 1, com parciais de 6/1, 3/6, 7/6 (7/2) e 7/5.

Ao comentar a nova marca da sua carreira, o suíço não escondeu a sua satisfação por voltar a fazer história. "Isso é muito empolgante, eu devo dizer a você", afirmou o recordista de títulos de Grand Slam, que anteriormente já havia alcançado o incrível recorde de 1.000 vitórias em torneios de simples em sua carreira. "Assim como quando alcancei 1000 vitórias no ano passado, foi um grande feito para mim. Não é algo que sempre almejei ou procurei, mas quando isso acontece é sempre muito especial", completou.

Com 17 títulos de Grand Slam, sendo quatro deles conquistados na Austrália, Federer não ganha um torneio da série mais importante do tênis desde quando faturou Wimbledon em 2012. E para seguir sua campanha rumo a mais uma taça, o suíço foi dominante na maior parte do jogo contra Dimitrov, hoje o 28º colocado da ATP. Ele aproveitou quatro de 15 chances de quebrar o saque do búlgaro, que converteu apenas um de seis break points. Para completar, o número 3 do mundo contabilizou 13 aces e 48 winners.

DJOKOVIC BATE FREGUÊS

Em outro jogo desta sexta-feira, Novak Djokovic sofreu um pouco no terceiro set, no qual precisou salvar duas chances de Andreas Seppi fechar a parcial, mas venceu o italiano por 3 a 0, com parciais de 6/1, 7/5 e 7/6 (8/6), para também ir às oitavas de final do Aberto da Austrália.

Líder disparado do ranking mundial e atual campeão em Melbourne, o sérvio assim ampliou a freguesia de Seppi em jogos contra ele. Essa foi sua 12ª vitória em 12 jogos disputados contra o atual 29º colocado do ranking mundial, que ano passado já havia sido eliminado pelo adversário no US Open.

Para voltar a bater Seppi, Djokovic confirmou todos os seus saques no jogo e converteu três de seis break points. Com nove aces, ele também ganhou 76% dos pontos que disputou com o seu primeiro serviço. O italiano, por sua vez, levou a disputa do último set ao tie-break, no qual chegou a abrir 6/4, mas sofreu quatro pontos seguidos e acabou sendo eliminado.

Com o triunfo, Djokovic passou a acumular 210 vitórias em torneios de Grand Slam e terá como próximo adversário na Austrália o francês Gilles Simon, 14º cabeça de chave, que em outro jogo do dia arrasou o argentino Federico Delbonis com parciais de 6/3, 6/2 e 6/1.

Outro duelo das oitavas de final definido nesta sexta-feira irá reunir Kei Nishikori e Jo-Wilfried Tsonga. Sétimo cabeça de chave, o japonês avançou ao vencer o espanhol Guillermo Garcia-Lopez por 3 sets a 1, com parciais de 7/5, 2/6, 6/3 e 6/4. Já o francês, nono pré-classificado, eliminou o seu compatriota Pierre-Hugues Herbert por 6/4, 7/6 (9/7) e 7/6 (7/4).

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.