Matthew Stockman/AFP
Matthew Stockman/AFP

Federer brilha, bate lesionado Isner e se sagra campeão em Miami

Suíço perde apenas cinco games e conquista quarto título da carreira na competição da Flórida

Redação, Estadão Conteúdo

31 de março de 2019 | 15h42

Depois de bater na trave em Indian Wells, há duas semanas, Roger Federer não desperdiçou neste domingo mais uma chance de levantar um troféu. O suíço venceu com facilidade o norte-americano John Isner por 2 sets a 0, com parciais de 6/1 e 6/4, e se sagrou campeão do Masters 1000 de Miami pela quarta vez na carreira.

Isner, que defendia o título conquistado no ano passado, sofreu lesão no segundo set e quase abandonou a partida. No game final, apenas colocou a bola em quadra e Federer não perdeu a chance de sacramentar a conquista, a sua 28ª de nível Masters 1000. No total, o suíço chegou ao 101º troféu da carreira, sendo o segundo na temporada 2019.

Para tanto, Federer voltou a fazer grande exibição na quadra dura de Miami, neste domingo. Vindo em uma crescente ao longo da competição, após ser batido na final em Indian Wells pelo austríaco Dominic Thiem, o suíço arrasou os rivais em seus últimos jogos e, diante de Isner, não foi diferente.

Nem mesmo o poderoso saque do adversário, de 2,08m de altura, intimidou o favorito. O atual número cinco do mundo, que voltará ao quarto posto na atualização do ranking na segunda-feira, começou o jogo quebrando justamente o serviço do tenista da casa. Sem sofrer qualquer ameaça ao seu saque, ele faturou mais duas quebras para vencer a parcial com tranquilidade, em apenas 24 minutos.

Esbanjando confiança, Federer manteve o nível no segundo set. Mas viu Isner equilibrar o duelo ao acertar mais o seu saque. Ao mesmo tempo, o suíço passou a cometer erros não forçados (foram apenas sete em todo o jogo, contra 16 do americano), praticamente inexistentes na primeira parcial.

E, quando o set parecia se encaminhar para um possível tie-break, Isner reclamou de dores no tornozelo esquerdo e recebeu atendimento médico em quadra. Ele voltou a sentir dores nos games e até ameaçou abandonar o jogo. Após novo atendimento médico, foi para o seu último game, aliviando no saque, apenas colocando a bola em jogo para finalizar o jogo, sem precisar abandonar. Chegou a salvar um match point, mas não evitou a derrota.

Federer terminou o jogo com 17 bolas vencedoras, contra 13 do americano, que vinha arrasando os rivais com o seu saque na competição até oscilar na final. Assim, o suíço levantou o troféu pela quarta vez em Miami, como fizera em 2005, 2006 e 2017.

O tenista de 37 anos, campeão em Dubai neste ano, é o único do circuito a somar dois títulos de nível ATP na temporada até agora. Desta forma, vai assumir na segunda a liderança do ranking do ano, que definirá os futuros classificados para o ATP Finals, no fim da temporada.

Tudo o que sabemos sobre:
tênisRoger FedererJohn Isner

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.